RESILIENCE IN THE FACE OF SOCIAL AND ENVIRONMENTAL IMPACTS

Main Article Content

Gildázio Pereira da Silva Júnior
Dr. Flávio de São Pedro Filho

Abstract

The dynamics of the systems present in the Amazon require a detailed view of the aspects involving human actions and their consequent interactions with the forest. The impacts caused by this relationship have been the subject of numerous studies aimed at understanding the responsiveness to these impacts, risks, and vulnerabilities of the environment subject to risk factors. The general goal of this paper is to conduct a theoretical and conceptual study on resilience in the face of socioenvironmental impacts in the Brazilian Western Amazon. The specific goals are to contextualize the concepts of situational resilience in the face of environmental impacts, to address the main definitions of environmental impacts in the Amazon, and analyze the approach in the face of the Amazon environmental heritage. Regarding the problem, the following question was proposed: how is resilience characterized in the face of social and environmental impacts? In order to answer this question, a theoretical-conceptual review based on the Contingency Theory was conducted to support the conclusions. In order to reach this goal, we sought the conceptualization of resilience in the face of environmental impacts, the search for the main definitions of environmental impacts in the Brazilian Amazon and some concepts about the Amazonian environmental heritage in a qualitative approach by collecting data through qualitative research for further analysis of the problem and literature review, in order to build knowledge for the theoretical foundation using the Contingency Theory, which springs from environmental conditions to actions that minimize the impacts of human action.

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

How to Cite
Pereira da Silva Júnior, G., & Pedro Filho, D. F. de S. . (2019). RESILIENCE IN THE FACE OF SOCIAL AND ENVIRONMENTAL IMPACTS. International Journal for Innovation Education and Research, 7(12), 183-195. https://doi.org/10.31686/ijier.vol7.iss12.2026
Section
Articles
Author Biography

Dr. Flávio de São Pedro Filho, PPGMAD / Federal University Foundation of Rondônia, Brazil

Professor of Social and Environmental Management

References

ABNT, NORMA BRASILEIRA NBR ISO 14001. Disponível em http://www. madeira.ufpr.br/disciplinasghislaine/iso-14001-2004.pdf. Acessado em 8 set. 2017.
AFONSO M. H. F.; et al. Como construir conhecimento sobre o tema de pesquisa? Aplicação do processo Proknow-C na busca de literatura sobre avaliação do desenvolvimento sustentável. Revista de Gestão Social e Ambiental - RGSA, São Paulo, v. 5, n. 2, p.47-62, mai./ago. 2011. Disponível em http://www.spell.org.br/documentos/ver/1640/como-construir-conhecimento-sobre-o-tema-de-pes--- Acessado em 10 set. 2017.
ANDRADE FILHO, V. S. et al. Distribuição espacial de queimadas e mortalidade em idosos em região da Amazônia Brasileira, 2001 - 2012. Ciência & Saúde Coletiva, v.22, n.1, p.245-253, 2017. Disponível em https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/18968. Acessado em 22 set. 2017.
BAMPI, A. C.; DIEL, J. O.; KORBES, L. M. A colonização como projeto político monocultural de ocultamento da diversidade cultural na Amazônia norte mato-grossense. Anais do Seminário Humanidades em Contexto: saberes e interpretações Cuiabá, 2014. Disponível em http://200.17.60.3/ufmt /site/userfiles/eventos/6e871d61742d81e27dcd546ea753042b.pdf#page=15. Acessado em 24 set. 17.
BENETTI, I. C.; CREPALDI, M. A.; Resiliência revisitada: uma abordagem reflexiva para principiantes no assunto. Revista Electrónica de Investigación y Docencia (REID), 7, Enero, 2012, 7-30. Disponível em http://revistaselectronicas.ujaen.es/index.php/reid/article/view/1086/917. Acessado em 9 set. 2017
BRASIL. Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Disponível em http://www. planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6938.htm. Acessado em 10 set. 2017.
BUSCHBACHER, R. et al. Avaliação da Resiliência como ferramenta para entender a fronteira amazônica como um sistema socioecológico. Sustentabilidade em Debate - Brasília, v. 7, n. 2, p. 36-52, mai/ago 2016. Disponível em http://www.tcd.ufl.edu/Data/Sites/44/media/documents/acli/ buschbacher-avaliacao-de-resiliencia-sustdebate.pdf. Acessado em 24 set. 17.
CABRAL, A. L. A. et al. Uso do fogo na agricultura: legislação, impactos ambientais e realidade na Amazônia. IX Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 9, n. 5, 2013. Disponível em https://www.amigosdanatureza.org.br/publicacoes/ index.php/forum_ambiental/article/view/577/601. Acessado em 01 nov. 2017.
CHIAVENATO, Idalberto. Teoria geral da administração: abordagens descritivas e explicativas, volume II. 7ª ed. Barueri, SP, Manoele, 2014.
CUNHA, D. M. et al. O avanço do capital sobre a floresta: uma análise dos processos de desterritorialização e favelização na Amazônia. XVI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, realizado em Caxambu, 2008.
FERREIRA, A. P. et al. Termos de ajustamento de conduta ambiental na Amazônia. Veredas do Direito, Belo Horizonte, v.14 n. 28, Janeiro/Abril de 2017. Disponível em http://domhelder.edu.br/revista/index.php/veredas/article/ view/939/543. Acessado em 29 out. 2017.
FERREIRA, K. Resiliência urbana e a gestão de riscos de escorregamentos: uma avaliação da Defesa Civil do município de Santos – SP. 2016. Dissertação de Mestrado. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. São Paulo.
GOMES, J. P. F. e FILHO, E. C. S. O tratado de cooperação amazônica e a gestão compartilhada de recurso naturais: a efetivação dos seus projetos. Revista de Direito e Sustentabilidade. Brasília, V 2, N. 1 p. 190-204, Jan/Jun 2016. Disponível em http://www.indexlaw.org/index.php/revistards/article/view/ 1038/1033. Acessado em 23 set. 2017.
GONÇALVES, C. Repensar o desenvolvimento sustentável através da resiliência evolutiva: um debate em curso. Biblio 3W. Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales. [En línea]. Barcelona: Universidad de Barcelona, 15 de enero de 2017, vol. XXII, nº 1.187 . [ISSN 1138-9796]. Disponível em http://www.ub.edu/geocrit/b3w-1187.pdf. Acessado em 21 set. 2017.
HOMMA, A. A terceira natureza da Amazônia. Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba, v.38, n.132, jan./jun. 2017.
MENDONÇA, F. Geografia, Riscos, vulnerabilidades e resiliência Socioambientais urbanas: inovações na análise geográfica. Revista da ANPEGE, v. 7, n. 1, número especial, 2011. p. 114-115. Disponível em http://www.anpege.org.br/revista/ojs-2.4.6/index.php/anpege08/article/view/151. Acessado em 08 set. 2017.
NASCIMENTO, C. P. et al. A pecuária com atividade primaz na Amazônia: uma discussão acerca dos seus aspectos ambientais, das populações humanas envolvidase do papel das instituições na dinâmica desta atividade. Revista de Estudos Sociais, nº 33, V. 17, 2015. Disponível em http://periodicoscientificos .ufmt.br/ojs/index.php/res/article/view/2238/pdf. Acessado em 30 out. 2017.
NEU, V. et al. Resgate da sociobiodiversidade: restauração ambiental com geração de renda em comunidades ribeirinhas na Amazônia oriental. Revista Ciências em Extensão, v.12, n.3, 2016. Disponível em http://ojs.unesp.br/index. php/revista_proex/article/view/1180/1261. Acessado em 28 out. 2017.
PENHA, R. C. Morbimortalidade por doenças respiratórias e cardiovasculares atribuível à fumaça na Amazônia Legal. 2014.110f. Dissertação (Ciências na área de Saúde Pública e Meio Ambiente). Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz. RJ, 2014. Disponível em https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/16908. Acessado em 22 set. 2017.
SANCHEZ, L. E. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. 2. Ed. São Paulo. Oficina de Textos. 2015. Disponível em https://books.google. com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=nsN6BwAAQBAJ&oi=fnd&pg=PT12&dq= conceitos+de+resili%C3%AAncia+ambiental&ots=g1kOVIIEmD&sig=kTeMRaT30RBrcNEbSwsYT1HNpsQ#v=onepage&q=conceitos%20de%20resili%C3%AAncia%20ambiental&f=false. Acessado em 10 set. 2017.
SANTOS, C. J. C. Recursos naturais brasileiros: mapeamento estratégico, fronteiras e cenários na Amazônia. Revista do Centro de Estudos Estratégicos do Exército (CEEEx). N. 1. 2016 Disponível em http://ceeex.org/revista/index. php/artigos-estrategicos/article/view/15/15. Acessado em 24 set. 17.
SATO, S. A. S. e PEDROZO, E. A. Os Recursos Naturais Amazônicos: de uma competitividade sustentável para uma sustentabilidade competitiva. Revista de Administração e Negócios da Amazônia, v.4, n.3, set./dez. 2012. Disponível em http://www.periodicos.unir.br/index.php/rara/article/view/576/627. Acessado em 16 set. 2017.
SILVA, J. B. Avaliação da sustentabilidade em unidades de conservação na Amazônia Ocidental com foco na Teoria U. Porto Velho, 2015. Dissertação de Mestrado. Fundação Universidade Federal de Rondônia.
TEIXEIRA, P. R. e MICHELIN, R. L. Mapeamento dos indicadores de impacto ambiental e manejo na trilha do Parque Nacional do Viruá – Roraima. Revista Turismo - Visão e Ação - Eletrônica, Vol. 19 - n. 2 - mai. - ago. 2017. Disponível em https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rtva/article/view/10844/6142. Acessado em 30 out. 2017.
TEZZA, R. et al. Sistemas de medição de desempenho: uma revisão e classificação da literatura. Gestão e Produção vol.17 no.1 São Carlos 2010. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-530X2010000100007. Acessado em 24 set. 17.
VIANA, V. et al. Soluções para o desenvolvimento sustentável da Amazônia. Revista Ciência e Cultura. 2014, vol.66, n.3 Disponível em Acessado em 20 out 2017.