Analysis of Incentive Policies for the Use of Biomass as Energy Source

Main Article Content

Aldeci Castro Leal
Fabiana Rocha Pinto
David Barbosa de Alencar
Manoel Henrique Reis Nascimento

Abstract

In the search for solutions on the efficient use of natural resources, much has been discussed about the importance of effective public policies, as a way to minimize problems with the scarcity of natural resources, and how to achieve the desired sustainability through the implementation and exploitation of natural resources. renewable energy sources generated by the expansion of energy supply, one of which being natural resources is Biomass. In this context, biomass emerges as a great potential to solve, or at least mitigate the effects of using petroleum-based energy sources, contributing to the reduction of greenhouse gases (GHG), the implementation of public incentive policies. The use of renewable sources has become a more than current theme in the various rounds of debates on the improvement of climatic conditions in Brazil and in the world. The objective of the research was to identify the incentive policies adopted by the Brazilian government that made possible the advances and contributions generated by the use of Biomass as a renewable energy source within the national territory. The adopted method considered the aspects of a descriptive, exploratory study, with a qualitative approach based on a survey of the theoretical framework, which was used as material, books and original articles based on electronically available databases, to review the literature. available literature. The results of this study show that several benefits have been found through the use of renewable energy sources such as biomass, but this energy source is still not widespread in the country, where this is attributed to the scarcity of public incentive policy that in its great Most address the use of renewable energy as a whole, specifying the use of biomass without differentiation.

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

How to Cite
Castro Leal, A., Rocha Pinto, F., Barbosa de Alencar, D., & Reis Nascimento, M. H. (2019). Analysis of Incentive Policies for the Use of Biomass as Energy Source. International Journal for Innovation Education and Research, 7(11), 646-656. https://doi.org/10.31686/ijier.Vol7.Iss11.1920
Section
Articles

References

[1] COUTO, L.C.; COUTO, L.; WATZLAWICK, L.F.; CÂMARA, D. Vias de valorização energética da biomassa. Biomassa & Energia, Viçosa, v. 1, n. 1, p. 71-92, 2004.
[2]SOUSA, Ivan Sergio Freire de. Rumo a uma sociologia da agroenergia. 2010. 259p. Brasília/DF. Embrapa Informação tecnológica, 2010.
[3] SOUZA, V. H. A. et al. Aspectos socioeconômicos do cultivo do pinhão-manso para a produção de biodiesel: o caso do Espírito Santo. In: CONGRESSO SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL, 53., 2012, João Pessoa. Anais eletrônicos... João Pessoa, 2012. Disponível em: http://icongresso.itarget.com.br/tra/arquivos/ser.5/1/5648.pdf. Acesso em: 08 out. 2019.
[4] IEA. Policy and Measures Database. 2016. disponível em http://www.iea.org /textbase/pm/index.html. Acesso em 11 de out. de 2019.
[5] FGV. Biocombustíveis. FGV. Energia. Agosto, 2017, ano 4 n. 8. ISSN 2358-5277.
[6] MELO, E. Fonte eólica de energia: aspectos de inserção, tecnologia e competitividade. Estudos Avançados v.27, n. 77, 2018.
[7] FERREIRA, Juliana. Etanol de segunda geração. Definição e perspectiva. Revista Conexão Eletrônica. Três Lagoas/MS, v.12, n.1, 2015.
[8] URQUIAGA, S.; ALVES, B.J.R.; BODDEY, R.M. Capim-elefante: uma fonte alternativa promissora para a produção de energia. 2005.
[9] LEITE, Rogério Cezar de Cerqueira; LEAL, Manoel Régis I. Biocombustível no Brasil – CEBRAP [online], 2007, n. 78, pp15-21. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-33002007000200003. Acesso em 12 out. 2019.
[10] SCHUCHARDT, U.; RIBEIRO, M.L. A indústria petroquímica no próximo século: como substituir o petróleo como matéria-prima? Química Nova, v. 24, n. 2, p. 247-251, 2001.
[11] LAL, R. World crop residues production and implications of its use as a biofuel. Environment International, v. 31, n. 4, p. 575-584, 2005.
[12] SCARLAT, N.; DALLEMAND, J. F.; MOTOLA, V.; MONFORTI-FERRARIO, F. Bioenergy production and use in Italy: Recent developments, perspectives and potential. Renewable Energy, v. 57, p. 448-461, 20_pt13.
[13] GUARDABASSI, P. M. Sustentabilidade da biomassa como fonte de energia perspectivas para países em desenvolvimento. 2006. 123p. Tese (Mestrado) – Energia. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
[14] EPE – Empresa de Pesquisa Energética. Plano Decenal de Expansão de Energia 2026. Ministério de Minas e Energia. Empresa de Pesquisa Energética. Brasília: MME/EPE, 2016.
[15] GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2012.
[16] FANTINATO, Marcelo. Métodos de Pesquisa. PPGSI. EACH. USP. 2015. Disponível em: http://each.uspnet.usp.br/sarajane/wp-content/uploads/2015/09/M%C3% A9todos-de- Pesquisa.pdf. Acesso em: 26/10/2019.
[17] MELO, C.A.; JANNUZZI GDM, BAJAY SV. Nonconventional renewable energy governance in Brazil: Lessons to learn from the German experience. Renew Sustain Energy Rev 61, 2016.
[18] FARREL, John. Democratizing the Electricity System. A Vision for the 21 st Century Grid. The New Rules Project, junho 2011. Disponível em: . Acesso em: 06 out. de 2019.
[19] OLIVEIRA, Miguel Ivan Lacerda. Renovabio: por uma política nacional de biocombustíveis. Revista Opiniões. Ano 15, nr. 54, divisão c, out/dez, 2017.
[20] MILANEZ et al. Perspectivas para o etanol brasileiro. Rio de Janeiro: BNDES Setorial, 2011. Disponível em: http://www.bnds.gov.br/SiteBNDS/export/sites/default/ bnds/Galerias/Arquivos/conhecimentos/bnset/set2702. pdf. Acesso em: 12 out. 2019.
[21] PEREIRA, Thúlio Cícero Guimarães. Energias renováveis políticas públicas e planejamento energético. Curitiba: Copel, 2017.
[22] BIOMERCADO. Oferta de glicerina e produção de Biodiesel, 09 de março de 2015. Disponível em: http://biomercado.com.br/notJdetalhe.php?noticia= 1248#. Acesso em: 05 de out. de 2019.
[23] FÉLIX, Márcio. Bioquerosene e Oportunidades. Ethanol Summit. São Paulo, 26 de junho de 2017.
[24] NOGUEIRA, Larissa Gonçalves. Políticas e mecanismos de incentivo às fontes renováveis alternativas de energia e o caso específico da geração solar fotovoltaica no Brasil e no Chile. 2015. 170 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Engenharia Mecânica, Faculdade de Engenharia Mecânica, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.
[25] GOMES, José. BNDS, projeta desembolso de 2 bi para o setor de cana em 2016. Rede AgroServices, 29 de novembro de 2016. Disponível em: http://redeagroservices.com.br/Noticias/2016/BNDS-projeta-desembolso-de-r-2bi-para-o-setor-de-cana/2016. Acesso em: 02 out. 2019.
[26] MATSURA, et al. Avaliação de ciclo de vida: proposta de avaliação de desempenho ambiental e certificação para o programa RenovaBio, 2017. Disponívelem:http://ubrabio.com.br/sites/1800/1891/PDFs/EXPANDMG/30ago17Renova CacAvaliaad. Acesso em: 03 out. 2019.
[27] ROITMAN, Tamar. Caderno de biocombustíveis. In: RENOVABÍO: Próximos passos. Rio de Janeiro: FGV. Energia, fevereiro de 2018. Disponível em: http://fgvenergia.fgv.br/eventos/renovabio-proximos-passos. Acesso em: 02 out. 2019.
[28] Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas. ABRAF. Anuário estatístico ABRAF 2013. Ano base 2012, ed. São Paulo. Brasília: 2013.
[29] LOPES, Afonso et al. Avaliação do Desempenho do motor alimentado com duplo combustível – Biodisel e Biogás. In: Congresso Brasileiro. Plantas oleaginosas. Óleos vegetais e Biodisel, I, Varginha: Emater/MG, 2004.
[30] GOLDEMBERG, J. MOREIRA, M. Energia e Sustentabilidade. Revista de Cultura e Extensão USP, [s.l.], v. 14, p.33-43, 30 nov. 2015. Universidade de São Paulo Sistema Integrado de Bibliotecas – SIBiUSP.
[31] IPCC. Renewable energy sources climate change mitigation. Relatório especial do IPCC sobre fontes de energia renováveis e mitigação das mudanças climáticas. 2011. Disponível em: https://www.ipcc.ch/report/renewable-energy-sources-and-climate-chenge- mitigation. Acesso em 05 de out. 2019.
[32] MARTINS, Juliana Marinho Cavalcanti. Estudo dos principais mecanismos de incentivo às fontes renováveis alternativas de energia no setor elétrico. Dissertação de Mestrado, Campinas, SP: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), fevereiro, 2010.
[33] FALCÃO, P. W. C. Produção de biodiesel em meio supercrítico. Tese (Doutorado em Engenharia Química) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.
[34] IRENA - International Renewable Energy Agency. REMap 2030: RENEWABLE ENERGY AUCTIONS ANALYSING 2016. Disponível em: . Acesso em: 05 de out. 2019.
[35] RODRIGUES FILHO, S.; JULIANI, A. J. Sustentabilidade da produção de etanol de cana-de-açúcar no Estado de São Paulo. Estudos Avançados, São Paulo, v. 27, n. 78, p. 195-212, 2013. Disponível em:http://ww.scielo.br/pdf/ea/v27n78/13.pdf. Acesso em: 05 out. 2019.

DB Error: Unknown column 'Array' in 'where clause'