Excess weight meanings, perceptions and self-work among adolescent girls

Main Article Content

Régia Cristina Oliveira
Ivana Brito
Claudia Medeiros de Castro

Abstract

This paper has the purpose of discussing obesity and excess weight in adolescence resulting from research carried out in a public university program focused on this group. As a result of this research the importance of family and school in the process of slimming down can be emphasized, as much through spheres of support, as through challenging life experiences, especially for adolescent girls: the coexistence of support and family control in the process of weight loss; the girls’ explanation of feelings of shame and failure in the face of their inability to follow dietary rules; the difficulties in meeting goals proposed by the support program on obesity in adolescence and its articulation with the socio-cultural context that circumscribes the practices.

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

Article Details

How to Cite
Oliveira, R. C., Brito, I., & Medeiros de Castro, C. (2019). Excess weight meanings, perceptions and self-work among adolescent girls. International Journal for Innovation Education and Research, 7(7), 234-242. https://doi.org/10.31686/ijier.Vol7.Iss7.1604
Section
Articles

References

[1] Adam, P. Herzlich, C. Sociologia da doença e da Medicina. Trad. Laureano Pelegrin. Bauru: EDUSC, 2001.

[2] Anaiz, M. G. Em direção a uma Nova Ordem Alimentar? In: Canesqui, A. M; Garcia, R W D, orgs. Antropologia e Nutrição: um diálogo possível. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2005, pp. 9-22.

[3] Barros, C. “Alcoolismo, obesidade, consulta psiquiátrica,” Porto Alegre: Movimento; 1994, pp. 152.

[4] Barbier, N. A. O dom e a técnica: o cuidado a velhos asilados. [Tese]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo. Curso de Medicina Preventiva. Departamento de Saúde Coletiva, 2008.

[5] Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Brasília : Ministério da Saúde; 2012, pp. 84 : il. – (Série B. Textos Básicos de Saúde).

[6] Canesqui, A. M. Garcia, R. W D. Uma Introdução à Reflexão sobre a Abordagem Sociocultural da Alimentação In: Canesqui, A. M ; Garcia, R, W D, orgs. Antropologia e Nutrição: um diálogo possível. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2005, p. 9-22.

[7] Costa, R. F. Composição corporal: teoria e prática da avaliação. São Paulo: Manole; 2005.

[8] Coutinho, J. G.; Gentil, P. C; Toral, N. A desnutrição e obesidade no Brasil: o enfrentamento com base na agenda única da nutrição. Cad. Saúde Pública [online]. 2008, 24 Sup 2: pp. 332-340.

[9] Elias, N. O processo civilizador. Uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Zahar; 1994.

[10] Ferreira, V. A. e Magalhães, R. Obesidade e pobreza: o aparente paradoxo. Um estudo com mulheres da Favela da Rocinha, Brasil. Cad. Saúde Pública [online]. 2005, vol.21, n.6, pp. 1792-1800.

[11] Freitas, M. C. S. Mulher ligth: corpo, dieta e repressão. In: Ferreira, S. E Nascmento, E. R, orgs. Imagens da mulher na cultura contemporânea. Salvador: NEIM/ UFBA; 2002, Coleção Bahianas; 7. pp. 23-34.

[12] Novaes, J. V. V, Julia. C. T. Sobre a relação mulher, beleza e feiura. Rev. Interações. 2003, v. 7, n. 15, pp. 9-36.

[13] Oliveira, R. C. A constituição de si e a significação do mundo: uma análise sociológica sobre jovens trabalhadores. [Tese]. São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, Departamento de Sociologia, 2006.

[14] Ortega, F. F. O corpo incerto. Corporeidade, tecnologias médicas e cultura contemporânea. Rio de Janeiro: Garamond; 2008.

[15] Pimenta, M. M. Ser jovem e ser adulto. Identidades, representações e trajetórias. Jundiaí: Paco Editorial, 2017.

[16] Ribeiro, A. A. “Da bela velhice às velhinhas de bengala”. Narrativas sobre envelhecimento, gênero e menopausa. Belo Horizonte: Letramento, 2019.

[17] Rocha, J. S. Y. Os determinantes sociais da saúde In: Nelson Ilbañez; Paulo Eduardo Mangeon Elias, Paulo Henrique e D’ângelo Seixas, orgs. Política e Gestão Pública em Saúde. São Paulo: Hucitec, Cealag; 2011, pp. 219-242.

[18] Sarti, C. A. Família e jovens no horizonte das ações. Rev Bras de Educação. 1999, n. 11. pp. 99-109.

[19] Yoshino, N. L. O corpo “em excesso” e o culto da “boa forma” In: Canesqui, A. M, org. Olhares socioantropológicos sobre os adoecidos crônicos. São Paulo: Hucitec/FAPESP; 2007, pp. 111-128.

DB Error: Unknown column 'Array' in 'where clause'