TRANSVESTITES AND TRANSEXUAL PEOPLE IN THE CONTEXT OF EDUCATION: A LITERATURE REVIEW

Main Article Content

Eduardo Jorge SantAna Honorato
Ingrid Mesquita Coelho
Daniel Cerdeira de Souza
Fernanda Sousa Ferreira

Abstract

The article aimed to analyze the literature published in the format of scientific articles about the inclusion of transvestites and transsexual in the context of education in Brazil. We identified the descriptors "Education", “Transvestites" and "Transsexuals" in the Virtual Health Library (Dec’s BVS) and collected, in the Periódicos Capes plataform, 232 articles, of which 19 met the inclusion/exclusion criteria, which were analyzed descriptively by pairs, through a literature review protocol elaborated by the authors. As results, eight articles composed the final sample that discuss the inclusion of these subjects from two aspects: Transsexual/ transvestite students transsexual/transvestite teachers. It was noticed that the educational spaces, especially the school, are one of the most hostile spaces for those who break with the norms of gender, being not prepared (and even not being interested) in working the true inclusion of these people.

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

Article Details

How to Cite
SantAna Honorato, E. J., Mesquita Coelho, I., Cerdeira de Souza, D., & Sousa Ferreira, F. (2019). TRANSVESTITES AND TRANSEXUAL PEOPLE IN THE CONTEXT OF EDUCATION: A LITERATURE REVIEW. International Journal for Innovation Education and Research, 7(5), 157-169. https://doi.org/10.31686/ijier.Vol7.Iss5.1488
Section
Articles
Author Biographies

Eduardo Jorge SantAna Honorato, Amazon State University

Post-doc in Tropical Medicine

Ingrid Mesquita Coelho, UNINORTE

Academic psychology. Scholar of the Institutional Program of Scientific Initiation (PIBIC) by the National Council of Scientific and Technological Development (CNPq) of the Federal University of Amazonas (UFAM) during the period 2018 to 2019.

Daniel Cerdeira de Souza, UFSC

PhD student in Psychology from the Federal University of Santa Catarina (UFSC / 2019-2023). Master in Psychology from the Federal University of Amazonas (UFAM / 2016-2018). Specialist in Cognitive Behavioral Therapy by UNIFIA (2016-2017). Graduated in Psychology from the Centro Universitário do Norte (2011-2015). He was a member of the research group Subjectivities, Amazonian People and Human Development Processes of the Laboratory of Human Development and Education - UFAM. He was also a member of the Brazilian Association of Psychology - ABRAPSO. He has experience in clinical psychology (private practice), organizational psychology (acting in human resources of companies) and as professor of higher education at the University of the State of Amazonas (UEA). Co-guides scientific initiation projects at UFAM (PIBIC). His research interest is focused on the demands of gender and sexuality in the issues of masculinity and violence, sexual orientation, families, youth and LGBT rights.

Fernanda Sousa Ferreira

Psychologist. Has experience in Psychology, with emphasis in Historical-Cultural Psychology, working mainly in the following subjects: Gender Studies, Sexual Diversity and School Psychology.

References

ALVES, C. E. R.; MOREIRA, M. I. C. Do uso do nome social ao uso do banheiro:(trans) subjetividades em escolas brasileiras. Quaderns de Psicologia, Barcelona v. 17, n. 3, p. 59-69, 2015.

BENTO, B. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 2, p. 549, 2011.

BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO, 2007a.

BRASIL, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad/MEC). Gênero e Diversidade Sexual na Escola: reconhecer diferenças e superar preconceitos. Brasília: Ministério da Educação, 2007b.

BRASIL. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM/PR); Secretaria Especial de Políticas Públicas de Igualdade Racial (SEPPIR/PR); Ministério da Educação (MEC). Gênero e diversidade na escola: Formação de Professoras/es em Gênero, Sexualidade, Orientação Sexual e Relações Étnico-Raciais. Rio de Janeiro: CEPESC, 2007c.



BRASIL. Ministério da Educação. Educação para a igualdade de gênero. 2008. Disponível em: < http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/cadernos_tematicos/salto_futuro_educacao_igualdade_genero.pdf>. Acessos em 07 de Janeiro de 2019.

BRASIL. Conselho Nacional de Combate à Discriminação/Ministério da Saúde. Brasil Sem Homofobia: Programa de combate à violência e à discriminação contra GLTB e promoção da cidadania homossexual. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL. Constituição. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. 24. ed. São Paulo: Saraiva, 2000.

BOURDIEU, P. A dominação masculina. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1999.

COELHO, L. J.; CAMPOS, L. M. L. Diversidade sexual e ensino de ciências: buscando sentidos. Ciênc. educ. (Bauru), Bauru, v. 21, n. 4, p. 893-910, 2015.

COSTA, F. O.; ANTONIAZZI, A. S. A influência da socialização primária na construção da identidade de gênero: percepções dos pais. Paidéia (Ribeirão Preto), Ribeirão Preto, v. 9, n. 16, p. 67-75, 1999.

CURY, C. R. J. Direito à educação: direito à igualdade, direito à diferença. Cad. Pesqui., São Paulo, n. 116, p. 245-262, 2002.

CRUZ, T. M.; DOS SANTOS, T. Z. Experiências escolares de estudantes trans. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 24, n. 1, p. 115-137, 2016.

DAS NEVES, A. L. M.; DA SILVA, I. R. Significações do protagonismo dos/as professores/as na igualdade de direitos à população Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT). Revista Internacional Interdisciplinar INTERthesis, Florianópolis, v. 14, n. 2, p. 93-112, 2017.

DA SILVA, R. G. L. B.; BEZERRA, W. C.; DE QUEIROZ, S. B. Os impactos das identidades transgênero na sociabilidade de travestis e mulheres transexuais. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 26, n. 3, p. 364-372, 2015.

DE OLIVEIRA, C. E.; ALBERTO, M. de F. P.; BITTENCOURT, N. de F. B. Tensões e contradições nos discursos políticos sobre o combate à homofobia no contexto da escola brasileira. RLCSNJ - Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud. Caldas, v. 14, n. 2, 2016.

DOS SANTOS, D. B. C. A biopolítica educacional e o governo de corpos transexuais e travestis. Cadernos de pesquisa, São Paulo, v. 45, n. 157, p. 630-651, 2015.

DUQUE, A. do N. Ser travesti: significados atribuídos por um grupo de travestis da cidade de Manaus. 2015, 109f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Amazonas.

ERCOLLE, F. F.; MELO, L. S.; ALCOFORADO, C. L.G.C. Revisão Integrativa versus Revisão Sistemática. REME - Rev Min Enferm. Belo Horizonte, v. 18, n. 1, p. 1-26, 2014.

EVANS, D.; PEARSON, A. Systematic reviews: gatekeepers of nursing knowledge. Journal of Clinical Nursing, Oford, v. 10, n. 5, p. 593-599, 2001.

FERREIRA, R. da S. “A informação social no corpo travesti (Belém, Pará): uma análise sob a perspectiva de Erving Goffman”. Ciência e Informação. Brasília, v. 38, n. 2, p.35-45 2009.

FÉLIX, P. Prefeitura vai pagar bolsas de R$ 840 para travestis e transexuais. 2015. Disponível em: . Acessos em 07 de Janeiro de 2019.

FRANCO, N.; CICILLINI, G. A. Professoras rofessoras trans brasileiras em seu processo de escolarização. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 23, n. 2, p. 325-346, 2015.

GROSSI, M. G. R.; OLIVEIRA, E. S.; DE CÁSSIA SILVA, L. Transexualidade na formação do professor da educação básica: desvelando a realidade brasileira. Revista de Humanidades, Fortaleza, v. 32, n. 2, p. 180-192, 2017.

JESUS, J. G. de. Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos. Brasília: EDA/FBN, 2012.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. de C. P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enfermagem. Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 758-64, 2008.

SOUZA, E. de J.; SILVA, J. P. da; SANTOS, C. Representações de docentes acerca da diversidade sexual e homofobia. Rev. Estud. Fem., Florianópolis, v. 25, n. 2, p. 519-544, 2017.

SOLEY-BELTRAN, P. Transexualidad y Transgénero: una perspectiva bioética. Rev. Bioética y Derecho, Barcelona, n. 30, p. 21-39, 2014.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v.20, n.2, p. 71-99, jul./dez. 1995.

SILVA, A.; Kelly L. S. da. Diversidade sexual e de gênero: a construção do sujeito social. Rev. NUFEN, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 12-25, 2013.

TORRES, M. A.; PRADO, M. A. Professoras transexuais e travestis no contexto escolar: entre estabelecidos e outsiders. Educ. Real., Porto Alegre, v. 39, n. 1, p. 201-220, 2014.

TRIVISIOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação: o positivismo, a fenomenologia, o Marxismo. São Palo: Editora Atlas, 1987.

WHITTEMORE, R.; KNAFL, K. The integrative review: updated methodology. Journal of Advanced Nursing, Bethesda, v. 52, n. 5, p. 546– 553, 2005.