The Regulatory Standards and Work Safety: A Review of Literature and Research Directions

Main Article Content

Vilson
Gabriela
Leopoldo
Antônio
Bruno
Vilmar

Abstract

Since the first initiatives related to health and safety at work there has been a lot of progress in this area. However, there is still a lot to be improved, especially in Brazil, since the country is among the countries with the highest number of accidents at work and in academic terms, represents a low participation in the scientific production in the area. Thus, given the context, this article aims to review the literature on regulatory norms and occupational safety, identifying gaps and research opportunities related to the area. The results indicate an increase in the relevance of the theme, however the majority of the studies present a fragmented and punctual approach. Regulatory norms 15 and 32 were the most frequent, and the industrial and health sectors were the predominant ones.

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

Article Details

How to Cite
Menegon Bristot, V., Aline Borges, G., Pedro Guimarães Filho, L., Cleber Gonçalves Junior, A., Brogni Uggioni, B., & Menegon Bristot, V. (2019). The Regulatory Standards and Work Safety: A Review of Literature and Research Directions. International Journal of Innovation Education and Research, 7(5), 102-112. https://doi.org/10.31686/ijier.Vol7.Iss5.1480
Section
Articles

References

[1] ALBUQUERQUE, M. D. A. D.; BERNARDO, V. D. R. S.; SILVA, L. D. O.; NAGIB, L. C.; FROTA, S. Biosafety in Speech, Language and Hearing Sciences. Revista CEFAC, v. 15, n. 5, p. 1073-1079, 2013.

[2] ALMEIDA, M. C. S. Fatores relacionados ao uso de equipamentos de proteção individual em agentes comunitários de saúde de um município do litoral norte de São Paulo. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, v. 16, n. 3, p. 346-352, 2018.

[3]ALVES, A. N. L.; DELLA ROSA, H. V. Exposição ocupacional ao cobalto: aspectos toxicológicos. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, v. 39, n. 2, p. 129-139, 2003.

[4] ALVES, M. M. P.; FORNARI, J. V.; BARNABÉ, A. S.; FERRAZ, R. R. N. Avaliação do conhecimento das normas de segurança no trabalho por trabalhadores em tubulões pressurizados. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, v. 11, n. 1, p. 19-26, 2013.

[5] ALVES SOUZA DE OLIVEIRA, E.; DE PAULA XAVIER, A. A.; ORLEI MICHALOSKI, A.; MONTES PIZYBSKI, E. Human thermal comfort and architectural volume. Acta Scientiarum. Technology, v. 38, n. 2, 2016.

[6] AMORIM, G. M.; QUINTÃO, E. C. V.; MARTELLI JÚNIOR, H.; BONAN, P. R. F. Prestação de serviços de manutenção predial em Estabelecimentos Assistenciais de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, p. 145-158, 2013.

[7] ANDRADE, P. J. S.; MESSIAS, S. S. N. D. Distrofias ungueais no ambiente de trabalho: uma breve abordagem. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, v.13, n. 1, p. 17-22, 2015.

[8] BALASTEGHIN, F. S. M. M.; MORRONE, L. C.; SILVA-JUNIOR, J. S. Absenteísmo-doença de curta duração entre operadores de telemarketing. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, v. 12, n. 1, p. 16-20, 2014.

[9] BARBIERI, J. P.; SCHLOSSER, J. F.; FARIAS, M. S. D.; NEGRI, G. M.; OLIVEIRA, L. F. V. D. The development and validation of an ergonomics index for assessing tractor operator work place. Ciência Rural, v. 48, n. 1, 2018.

[10] BARCELOS, D. D.; DE ATAÍDE, S. G. Análise do risco ruído em indústria de confecção de roupa. Revista CEFAC, v. 16, n. 1, p. 39-49, 2014.

[11] BASSO, V. M.; GONÇALVES JACOVINE, L. A.; RIBEIRO ALVES, R.; BRANDI NARDELLI, Á. M. Contribuição da certificação florestal ao atendimento da legislação ambiental e social no estado de Minas Gerais. Revista Árvore, v. 36, n. 4, 2012.

[12] BITENCOURT, C. L.; QUELHAS, O. L. G. Histórico da evolução dos conceitos de segurança. Encontro Nacional de Engenharia de Produção, v. 18, 1998.

[13] BONFATTI, R. J.; DE VASCONCELLOS, L. C. F.; FERREIRA, A. P. Ergonomia, desenvolvimento e trabalho sustentável: um olhar para a saúde do trabalhador. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, v. 15, n. 3, p. 257-266, 2017.

[14] BRASIL. Ministério da Economia. Secretaria de inspeção do trabalho. NR 15 - Atividades e operações insalubres. Brasília: Ministério da Economia, 2018. Disponível em: https://enit.trabalho.gov.br/portal/images/Arquivos_SST/SST_NR/NR-15.pdf. Acesso em: 04 de abr. 2019.

[15] BRASIL. Ministério da Economia. Secretaria de inspeção do trabalho. NR 32 - Segurança e saúde no trabalho em serviços de saúde. Brasília: Ministério da Economia, 2011. Disponível em: https://enit.trabalho.gov.br/portal/images/Arquivos_SST/SST_NR/NR-32.pdf. Acesso em: 04 de abr. 2019.

[16] BRASIL. Ministério da Economia. Secretaria de inspeção do trabalho. SST – NR - Português. Disponível em: https://enit.trabalho.gov.br/portal/index.php/seguranca-e-saude-no-trabalho/sst-menu/sst-normatizacao/sst-nr-portugues?view=default. Acesso em: 08 abril. 2019.

[17] BURLE, N. L. O.; MANCINI, P. C.; COSTA, N. B.; LEMOS, A. M. M.; MARTINS, T. F.; MEIRA, A. L. Triagem otoneurológica em operários da construção civil que executam trabalho em altura. Revista CEFAC, v. 18, n. 1, p. 2-13, 2016.

[18] CASALI, A. L.; SCHLOSSER, J. F.; GANDOLFO, M. A.; UHRY, D.; RODRIGUES, F. A. Nível de capacitação e informação dos operadores de máquinas para a aplicação de agrotóxicos. Ciência Rural, v. 45, n. 3, p. 425-431, 2015.

[19] CAVALCANTE, F.; FERRITE, S.; MEIRA, T. C. Exposição ao ruído na indústria de transformação no Brasil. Revista CEFAC, v. 15, n. 5, p. 1364-70, 2013.
[20] CEZAR PERES, C.; MARINHO-SILVA, A.; CAVALCANTE-FERNANDES, E.; ROCHA, L. E. Uma construção social: o anexo da norma brasileira de ergonomia para o trabalho dos operadores de telemarketing. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 31, n. 114, 2006.

[21] CHAVES, S. C. L.; SANTANA, V. S.; LEÃO, I. C. M. D.; SANTANA, J. N. D.; LACERDA, L. M. A. D. A. Determinantes da implantação de um programa de segurança e saúde no trabalho. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 25, p. 204-212, 2009.

[22] CORRÊA, L. B. D.; GOMES, S. C. S.; FERREIRA, T. F.; CALDAS, A. D. J. M. Fatores associados ao uso de equipamentos de proteção individual por profissionais de saúde acidentados com material biológico no Estado do Maranhão. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, v. 15, n. 4, p. 340-349, 2017.

[23] COSTA, L. P.; DOS SANTOS, P. R.; DA TERRA LAPA, A.; SPINDOLA, T. Acidentes de trabalho com enfermeiros de clínica médica envolvendo material biológico. Revista Enfermagem UERJ, v. 23, n. 3, p. 355-361, 2015.

[24] COSTA, V.; SOUZA, K. R.; TEIXEIRA, L. R.; HEDLUND, C. J.; FERNANDES FILHO, L. A.; CARDOSO, L. S. Saúde e Trabalho na visão de trabalhadores da estiva do Porto Ferroviário, Rio Grande do Sul, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, n. 4, p. 1207-1216, 2015.

[25] DA CUNHA, A. C.; CHAVES MAURO, M. Y. Educação Continuada e a Norma Regulamentadora 32: utopia ou realidade na enfermagem? Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 35, n. 122, 2010.

[26] DA SILVA, C. R.; DA SILVA, M. A. C.; DA SILVA, S. R.; DE SOUZA, J. C. C.; DOS SANTOS, S. D. Ergonomia: um estudo sobre sua influência na produtividade. REGE Revista de Gestão, v. 16, n. 4, p. 61-75, 2009.

[27] DA SILVA, D. M.; ROSEIRA, C. E.; PASSOS, I. P. B. D.; SANCHES, A. P. M.; DE FIGUEIREDO, R. M. Diagnóstico de estrutura para processamento de produtos para saúde na atenção primária. Revista Enfermagem UERJ, v. 24, n. 3, p. 9369, 2016.

Most read articles by the same author(s)