Narratives about the insertion of male teachers in the early childhood education deviant sexualities, heteronormativity and masculinization of the education

Main Article Content

andré Luiz dos Santos Silva

Abstract

Based on the theoretical and methodological assumptions of Oral History and Gender as an analytical category, this article analyzes the insertion of male teachers in Early Childhood Education. Two physical education teachers and two directors of the private school system participated in this study. From the memories of the deponents it was possible to perceive that the presence of men in Early Childhood Education was legitimized by the 'need' of a masculine reference for the children. Despite this, the deponents reported that they had their sexuality put under suspicion, after all, they would be breaking gender norms for the male gender.

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

Article Details

How to Cite
Silva, andré L. dos S. (2018). Narratives about the insertion of male teachers in the early childhood education. International Journal for Innovation Education and Research, 6(12), 274-283. https://doi.org/10.31686/ijier.Vol6.Iss12.1278
Section
Articles

References

[1] A. M. Veiga, J. M. Pedro, Gênero. In: Colling, A. M. Tedeschi, L. A. (1st ed.). Dicionário Crítico de Gênero, Editora da UFGD, Dourados, 2015, pp. 413.

[2] A. R. Petry, D. E. Meyer, (2011) Transexualidade e heteronormatividade: algumas questões para a pesquisa. Textos & Contextos, Editora da Puc/RS, Porto Alegre, 2011, pp. 193-198. [Online] Available: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fass/article/viewArticle/7375 (October 12, 2015).

[3] D. E. Meyer, Teorias e políticas de gênero: fragmentos históricos e desafios atuais. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, 2004, pp. 13-18 [Online] Available: www.scielo.br/pdf/reben/v57n1/a03v57n1.pdf (March 14, 2013).

[4] E. J Zanette, (2014). Homens Futuros Pedagogos? Relações de Gênero nos caminhos da profissionalização. Universidade do Vale dos Sinos São Leopoldo, 2014, pp. 73.

[5] F. A. Cardoso, “Homens fora de lugar? A identidade de professores homens na docência com crianças.” 30th. Reunião Anual da Anped, ANPEd, Caxambu, 2007, pp.1-9.

[6] F. O. C. Werle, F. O. C. “Práticas de gestão e feminização do magistério” Cadernos de pesquisa, Cortez Editora, São Paulo, 2005, pp. 609-634. [Online] Available: http://www.scielo.br/pdf/cp/v35n126/a05n126.pdf (May 21, 2014).

[7] F. Rosemberg, (1999). Expansão da educação infantil e processos de exclusão. Cadernos de pesquisa, Cortez Editora, São Paulo, 1999, pp. 7-40. [Online] Available: http://www.scielo.br/pdf/cp/n107/n107a01.pdf (May 21, 2014).

[8] G. L. Louro “Mulheres na sala de aula”. In: M, Del Priore, História das Mulheres no Brasil, Editora Contexto, São Paulo, 2007, pp. 443-481.

[9] G. L. Louro, “Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas”. Pro-Posições, Editora da UFRGS, Porto Alegre, 2008, p. 56-65.

[10] G. L. Louro, “Currículo, gênero e sexualidade: o "normal", o "diferente" e o "excêntrico". In: Goellner, S. V. Felipe, J. Louro, G. L. Corpo, Gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação, Editora Vozes, Petrópolis, 2012, pp. 41-52.

[11] H. Rousso, A memória não é mais o que era. In: M. Ferreira, J. Amado, J. Usos e Abusos da História Oral. Editora Fundação Getulio Vargas Rio de Janeiro, 1996, pp. 313.

[12] J. C. S. B,Meihy, Manual de história oral, Editora da FGV, São Paulo, 2013, pp.236.

[13] J. F. Oliveira. “Gênero, sexualidade e a produção de pesquisas no campo da educação: possibilidades, limites e a formulação de políticas públicas”, Revista Pro-posições, Editora da UFRGS, Porto Alegre, 2007, pp. 77-87.

[14] J Scott, Gênero, uma categoria útil de análise histórica, Educação & Realidade, Editora da UFRGS, Porto Alegre, 1995, pp. 71-100.

[15] J. S. Almeida, “Mulheres e Educação: Paixão pelo Possível”.Editora da Unesp, São Paulo, 1998, pp 135.

[16] J. Weeks, O corpo e a sexualidade, In: L. G. Louro, O corpo educado: pedagogias da sexualidade, Autêntica, Belo Horizonte, 1999, pp. 35-81.

[17] K. Jenkins, Repensando a História, Editora Contexto, São Paulo, 2004, pp. 134.

[18] L. A. Anjos, “Vôlei masculino é para homens: Representações do homossexual e do torcedor a partir de um episódio de homofobia”, Revista Movimento, Editora da UFRGS, Porto Alegre, 2015, pp. 11-24. https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/viewFile/43189/33305

[19] L. Bardin, “Análise de Conteúdo” Edições 70, LDA, São Paulo, 2011, pp. 229:

[20] M. A. Varoto, M. A. Educação Física com bebês: as práticas pedagógicas nas creches da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015, pp. 101

[21] M. C. Dal’Igna,. Família S/A: um estudo sobre a parceria família-escola. Doctoral Thesis in Education. Federal University of Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011, pp 150.

[22] M. F. Araújo, “Diferença e igualdade nas relações de gênero: revisitando o debate”, Psicologia Clínica, Editora da Puc/RJ, Rio de Janeiro, 2005, pp. 41-52. [Online] Available: http://www.scielo.br/pdf/pc/v17n2/v17n2a04.pdf (October 31. 2015)

[23] M. Foucault. Ditos e Escritos IV: Estratégias de Poder Saber, University Forensics, Rio de Janeiro, 2013, pp 113.

[24] M. Foucault. História da Sexualidade I: A vontade de saber. Paz e Terra, Rio de Janeiro, 2014, pp. 176.

[25] M. K. Monteiro, H, Altmann, (2014). “Homens na educação infantil: olhares de suspeita e tentativas de segregação”, Cadernos de Pesquisa, Cortez Editora, São Paulo, 2014, pp. 720-741.
[Online] Available: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742014000300012&lng=en&nrm=iso. (September 20, 2015).

[26] R. D. Junqueira. Currículo heteronormativo e cotidiano escolar homofóbico. Revista Espaço do Currículo, Editora da UFPB, João Pessoa, 2010, pp. 17-24.

[27] T. Amado, C. Bruschini, C. “Estudos sobre mulher e educação: algumas questões sobre o magistério.”, Caderno de Pesquisa de São Paulo, São Paulo, 1998, pp 4-13. [Online] Available http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/1179 (March 14, 2013)

[28] T. T. Silva, T. T. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Editora Autêntica, Belo Horizonte, 2007, pp. 158.