Solid Waste And Its Interference On The Water Quality Of The Igarapé¹ do Quarenta Educandos Basin - Manaus/Am

Authors

DOI:

https://doi.org/10.31686/ijier.vol9.iss11.3476

Keywords:

Pollution, Garbage, Macroscopic, Accessibility, Flow

Abstract

The “Igarapé do Quarenta”, a stream in Educandos basin, is categorized today as the "worst" and most polluted of the city Manaus, Amazonas, due to the accumulation of solid waste and contamination by heavy metals along its course. The main objective of this research was to verify the influence of solid waste in critical points of the Igarapé do Quarenta, on the water quality of the stream. The area of solid waste accumulation ("garbage") and the water quality in the stream and around and under the bridges of the Igarapé do Quarenta, between the springs (Armando Mendes and Zumbi neighborhoods) and the mouth (Educandos), in the Amazon "summer" and "winter"," were quantified. Water quality was evaluated at each sampling site. The macroscopic analysis demonstrated its importance for the feasibility diagnosis, finding that two of the three springs found are degraded and disturbed. The pH and electrical conductivity values in the sample sites visited, in the upper and middle, of the Igarapé do Quarenta, were very high values in relation to the maximum values recorded in a natural environment in other water streams of Manaus.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Michael Raphael Soares Vieira, Federal University of Amazonas

Research student, Environmental Science Center, UFAM

Aixa Braga Lopes, National Institute of Amazonian Research

Research student, Department of Climate and Environment, INPA

Eneida Guerra Silvestrim, Federal University of Amazonas

Research student, Environmental Science Center, UFAM

Arlindo Almeida de Lima Filho, Federal University of Amazonas

Research student, Environmental Science Center, UFAM

References

A. S. D. Valle, “Os igarapés no contexto do espaço urbano de Manaus: uma visão ambiental”. UFAM. Manaus, 1999. pp. 1-188

S. Benchimol. “Amazônia legal na década 70/80: expansão e concentração demográfica. Universidade do Amazonas”. CEDEAM, Manaus, 1981 pp 167.

BRASIL. “Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil”. Agencia Nacional Das Águas – ANA, 2016 pp. 15.

C. O. Buriti and E. M. Barbosa, “Políticas Públicas de Recursos Hídricos no Brasil: Olhares Sob uma Perspectiva Jurídica e Histórico-Ambiental”. Veredas do Direito, 2014, pp. 225. DOI: https://doi.org/10.18623/rvd.v11i22.431

R. C. Costa, “Riscos, fragilidades & problemas ambientais urbanos em Manaus”. 2016.

F. L. Da Silva, T. S. Tavares, M. F. F de Almeida, R. Zanitti and L. Faresi, “Avaliação Macroscópica De Duas Nascentes Do Alto Monjolinho (São Carlos, Sp)”. V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, 2014.

M. De Fátima Wolkmer and N. F. Pimmel, “Política Nacional de Recursos Hídricos: governança da água e cidadania ambiental. Seqüência: estudos jurídicos e politicos”, 34(67), 2013, pp.165-198. DOI: https://doi.org/10.5007/2177-7055.2013v34n67p165

C. H. Da Silva Milanezi and J. G. Pereira. “Caracterização da Vulnerabilidade Ambiental na Microbacia Do Córrego Azul, Ivinhema–MS”, Geografia (Londrina), 25(1), 2016, pp. 43-63.

S. R. Ensslin, A. P. G. Dos Santos and A. V. Gallon. “Um estudo descritivo da evidenciação do capital intelectual nas maiores companhias abertas da região sul do Brasil”. In: Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC. 2007.

J. G. P. Fonseca. “Análise introdutória do processo de ocupação urbana em Manaus e suas consequências socioambientais: o estudo de caso das comunidades São Pedro, travessa Arthur Bernardes e Bariri”. 2008.

V. Fonseca, C. M. Corrêa. “A evolução da população de Manaus-1950 a 1970. I-Evolução da população e dos padrões de mortalidade”. Acta Amazonica, v. 2, n. 3, 1972, pp. 59-73. DOI: https://doi.org/10.1590/1809-43921972023059

A. B. Frota Filho, et al. “Análise da vulnerabilidade erosiva da Bacia Hidrográfica Colônia Antônio Aleixo”, Manaus-AM. 2016.

V. Gonçalves, K. Paes, and D. Molinari. “Caracterização da Área de Preservação Permanente da Bacia do Igarapé do Quarenta – Manaus (Amazonas)”. Revista GeoNorte, Edição Especial 4, V.10, N.1, 2014, p.223-228.

N. Gouveia. “Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social”. Ciência & Saúde Coletiva, 17(6), 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000600014

B. S. Goes, "Explorações semióticas do PROSAMIM: um estudo ecossistêmico da comunicação a partir da dinâmica da semiose no Parque Residencial Manaus e no Parque Rio Negro." 2016.

M. S. Leal, K. C. Tonello, H. C. T. Dias and, R. Mingoti. “Caracterização hidroambiental de nascentes”. Revista Ambiente & Água, 12(1), 2017, pp. 146-155 DOI: https://doi.org/10.4136/ambi-agua.1909

T.S. Leal, B. R. G. Oliveira. “Mapeamento e Avaliação dos Impactos Ambientais nas Nascentes do Município de Niterói-RJ: Análise Macroscópica”. 2017, 12p.

I. G. Marinho, I. Nascimento, “Avaliação do saneamento urbano de Macapá através do índice de qualidade do saneamento ambiental”. Trabalho de Conclusão de Curso. Bacharelado em Ciências Ambientais. Universidade Federal do Amapá 2014.

E.G.F Melo; M.S.R. Silva and S.A.F. Miranda, “Influência antrópica sobre águas de igarapés na cidade de Manaus – Amazonas”. Caminhos de Geografia, 5(16), 2005, pp 40 - 47.

P. Moreira Gomes; C. Melo and V. S. Do Vale, “Avaliação dos impactos ambientais em nascentes na cidade de Uberlândia-MG: análise macroscópica”. Sociedade & Natureza, 2005, pp. 17-32.

A.C.F. Nogueira, F. Sanson and K. Pessoa, “A expansão urbana e demográfica da cidade de Manaus e seus impactos ambientais” In: Anais XIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Florianópolis, Brasil, abril 2007, INPE, pp. 5427-5434.

L. Nunes, J. Fernandes, J. Cardoso; J. Parente, P. Almeida and T. Bettencourt, “Disponibilidade de água doce no planeta: existe água doce suficiente para satisfazer as necessidades do planeta”. Porto: FEUP 2009.

D. Pascoaloto, C. C. Soares and N. A. Gomes, “Atividades antropogênicas e eutrofização em duas lagoas de Manaus, Estado do Amazonas”. In: XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. SBRH, Brasília, DF, 2015. pp. 1-8.

B.F, Rocha, A. R. Fonseca and F.F. De Sousa, “Análise Macroscópica e Parâmetros Microbiológicos de nascentes da área urbana de Cláudio, Minas Gerais”, Brasil. Conexão Ci, 12, 2017. pp. 17-33. DOI: https://doi.org/10.24862/cco.v12i3.567

A.C. Reboucas, B. Braga and J. G. Tundisi, “Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. São Paulo: Escrituras, São Paulo, 1999. pp717.

E.W. Rice, R.B. Baird, A.D. Eaton and, L.S. Clesceri, “Standard Methods for Examination of Water and Wastewater.” American Public Health Association - APHA, American Water Works Association – AWWA e Water Environment Federation – WEF, Maryland, 1496 p.

A.M. Righetto, K. M. Gomes and F. R. S. Freitas. “Poluição difusa nas águas pluviais de uma bacia de drenagem urbana”. Eng Sanit Ambient, 22(6), 2017. pp.1109-1120. DOI: https://doi.org/10.1590/s1413-41522017162357

M. S. R. Silva, J. F. Ramos and, A. G. N. Pinto, “Metais de Transição nos sedimentos de igarapés de Manaus-AM”. Acta Limnologica Brasiliensia, 11: 1999, pp.89-100.

L.P.D. Siqueira, N.K.S. Shinohara, R.M.T.D. Lima, J.D.E.D. Paiva, J.L.D. Lima Filho and I. T. D Carvalho, “Avaliação microbiológica da água de consumo empregada em unidades de alimentação”. Ciência & Saúde Coletiva, 15, 2010 pp.63-66. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000100011

J.G. Tundisi, T. Matsumura-Tundisi. “A crise da água: eutrofização e suas consequências. In: Tundisi, J.G.; Matsumura-Tundisi, T. Recursos Hídricos no século XXI”. Oficina de Textos, São Paulo, 2011 pp. 101-119.

E.E.A. Takano, I.S. Dantas; K.T. Souza, R.M. Souza, D. Pascoaloto and T.S. Oliveira, “Alunos do ensino médio como agentes disseminadores em programa de educação ambiental (Recursos Hídricos) na bacia do Tarumã: organismos aquáticos”. In: I Jornada das Águas – A CPCR/INPA em colaboração com an SRH do Amazonas na comemoração do Dia Mundial da Água, 2006, Manaus. Anais. Manaus: INPA, 2006.

R. A. Tozzo, “Unidades de conservação no Brasil: uma visão conceitual, histórica e legislativa/Storage units in Brazil: a conceptual, historical and legislative vision”. Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, 7(3), 2014, pp. 508-523.

M. Von Sperling, “Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos (Vol. 1)”. Editora UFMG. 1996.

World Health Organization (WHO). “Population health and waste management: scientific data and policy options. Report of a WHO”, workshop Rome, Italy, 29-30 March 2007. Copenhagen: WHO Regional Office for Europe; 2008

WHO, U.N.I.C.E.F. “Progress on sanitation and drinking-water, 2010 update. Geneva: World Health Organization. 2010.

Downloads

Published

01-11-2021

How to Cite

Soares Vieira, M. R. ., Lopes, A. B., Guerra Silvestrim, E., Filho, A. A. de L., Gianello, K. V., & Cunha, E. Q. da. (2021). Solid Waste And Its Interference On The Water Quality Of The Igarapé¹ do Quarenta Educandos Basin - Manaus/Am. International Journal for Innovation Education and Research, 9(11), 78–88. https://doi.org/10.31686/ijier.vol9.iss11.3476