WOMEN

DISCRIMINATION, VIOLENCE AND STRUGGLES IN CONTEMPORARY BRAZIL

Authors

  • Richardson Lemos de Oliveira Universidade Nacional de La Plata https://orcid.org/0000-0002-4523-2337
  • Wilder Kleber Fernandes Santana Universidade Federal da Paraíba
  • Eva Bessa Soares Universidade Federal de Ouro Preto
  • Cristina Brust Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Fabiana Rodrigues Balbino Universidade Estácio de Sá
  • Daiane de Oliveira Campos da Veiga Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Edilane Aparecida Alves Canto Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Angélica Cristina Castro Soares Universidade Castelo Branco
  • Rebecca Rodrigues de Barros Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Amanda Cabral Monteiro Terto Universidade Mogi das Cruzes
  • Heberth Almeida de Macedo Heberth Almeida de Macedo
  • Adriana de Menezes Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.31686/ijier.vol9.iss8.3311

Keywords:

Women, Discrimination, Violence, Struggles

Abstract

The present paper delimited as a general objective to analyze the theme of women in relation to discrimination, violence and struggles in contemporary Brazil. This is a qualitative work, with a bibliographic nature, in which we revisit studies that deal with women and their struggles for insertion in the labor market, as well as the current conditions for the insertion of women in the commercial field. The relevance of our study lies in the current condition of women, who, according to the Brazilian Federal Constitution (1988), have the same rights as men, and it is necessary to discuss the subject. Given the degree of vulnerability of women in the context of domestic and family violence, it is of paramount importance that studies be developed that focus on ways to protect women against all forms of violence, bringing in their scope a range of possibilities for reflection. Our results pointed to a great scarcity that still exists in work opportunities for women, but despite the great discrimination, violence and struggles, in the twelfth century they have been gaining insertion and representation.

Downloads

Download data is not yet available.

References

BASTERD, Leila Linhares (2011). Lei Maria da Penha: uma experiência bem-sucedida de advocacy feminista. In: Campos, Carmen Hein de (Org.). Lei Maria da Penha: comentada em uma perspectiva jurídico-feminista. Rio de Janeiro: Lumen Juris. Disponível em: <https://assets-compromissoeatitude-ipg.sfo2.digitaloceanspaces.com/2014/02/1_2_advocacy-feminista.pdf> Acesso em 21/09/2020

BRASIL, Secretaria Nacional de Juventude. Agenda Juventude Brasil: perfil nacional sobre perfil e opinião dos jovens brasileiros. Brasília: SNJ, 2013. Disponível em: . Acesso em: 1 out. 2014.

BRASIL. Presidência da República. Secretaria Geral. Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade Racial. Secretaria Geral da Presidência, Secretaria Nacional de Juventude. Ministério da Justiça e Fórum Brasileiro de Segurança Pública-Brasília, 2014.

BRASIL. Planalto. Brasília. Lei nº 12.288, de 20 de Julho de 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12288.htm Acesso em: 14.06.2020

BRASIL. Emenda Constitucional nº 91. art. 208. Ano 2016. Disponível em:https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/con1988_18.02.2016/art_208_.asp Acesso em: 14.06.2020

BRASIL. Presidência da República. Secretaria de Políticas para as Mulheres. p.14. 2013. Disponível em: https://oig.cepal.org/sites/default/files/brasil_2013_pnpm.pdf Acesso em: 14.06.2020

BRASIL. Lei nº Nº 12.288, DE 20 DE JULHO DE 2010. Institui o Estatuto da Igualdade Racial; altera as Leis nos 7.716, de 5 de janeiro de 1989, 9.029, de 13 de abril de 1995, 7.347, de 24 de julho de 1985, e 10.778, de 24 de novembro de 2003.

BRUSCHINI, Maria C. A.; LOMBARDI, Maria, R.; UNBEHAUM, Sandra. Trabalho, renda e políticas sociais: avanços e desafios. In: BARSTED, Leila Linhares; PITANGUY. Jacqueline. Progresso das mulheres no Brasil: 2003 a 2010. Rio de Janeiro: CEPIA; Brasília ­ ONU Mulheres, 2011, p.142 ­ 178.

CAMPOS, Carmen Hein de. Lei Maria da Penha comentada em uma perspectiva jurídico-feminista. Editora Lumen Juris Rio de Janeiro 2011. Disponível em https://bibliotecadigital.mdh.gov.br/jspui/bitstream/192/856/1/lei_maria_penha.pdf Acesso em: 29/10/2020

CARDOSO, Claudia Pons. Experiências de mulheres negras e o feminismo negro no Brasil. Revista da ABPN, v. 10, n. 25, 2018. p.317-328 DOI: https://doi.org/10.31418/2177-2770.2018.v10.n.25.p317-328

CARNEIRO, Edison. O Quilombo dos Palmares. 2ª edição. Companhia Editora Nacional, 1958.

CARNEIRO, Sueli. Mulheres em movimento. Estudos Avançados, São Paulo, nº 49.2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-40142003000300008

COSTA, Albertina de Oliveira. Os Estudos da Mulher no Brasil ou a Estratégia da Corda Bamba. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 2, n. 2, p. 401-409, jan. 1994.

CURIEL, Ochy. Crítica poscolonial desde las práticas políticas del feminismo antirracista. Nómadas, Universidad Central – Colombia, n. 26, p. 92-101. abr. 2010.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2007. 90

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. 4ª ed. Rio de Janeiro: Record, 1997.

HERINGER, Rosana; SILVA, Joselina da. Diversidade, relações raciais e étnicas e de gênero no Brasil contemporâneo. In: BARSTED, Leila Linhares; PITANGUY. Jacqueline. Progresso das mulheres no Brasil: 2003 a 2010. Rio de Janeiro: CEPIA; Brasília: ONU Mulheres, 2011, p. 268 – 299.

MIGUEL, Luis Felipe, BIROLI Flávia. Feminismo e política: uma introdução. São Paulo: Boitempo Editorial, 164p.

OLINTO, Gilda. A inclusão das mulheres nas carreiras de ciência e tecnologia no Brasil. Inc. Soc., Brasília, DF, v. 5 n. 1, p.68-77, jul./dez. 2011.

OLIVEIRA, Kácia Guedes de; MELO, Cristina Teixeira Vieira de. A Representação da Mulher nas Canções de Chico Buarque: Uma Análise do Eu-Lírico Feminino. In: XVII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste – Natal/RN. Anais... Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, p. 1-15, 2015.

PROBST, Elisiana Renata. A evolução da mulher no mercado de trabalho. Instituto Catarinense de Pós-Graduação – ICPG. Santa Catarina, 2005.

SAFFIOTI, H. Prefácio. In: LANGLEY, Roger; LEVY, Richard C. (Orgs.) Mulheres espancadas, fenômeno invisível. São Paulo: Hucitec, 1980.

SCOTT, Joan Wallach. La travailleuse. Histoire des femmes en Occident, v. 4, p. 479-511, 1995.

SILVA, Sérgio Gomes da. Preconceito e Discriminação: As Bases da Violência Contra a Mulher. Psicologia, Ciência e Profissão, 2010, 30 (3), 556-571. Disponível em < https://www.scielo.br/pdf/pcp/v30n3/v30n3a09.pdf> Acesso em 19/09/2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-98932010000300009

WERNECK, Jurema. Nossos passos vêm de longe! Movimentos de mulheres negras e estratégias políticas contra o sexismo e o racismo. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 1, n. 1, p. 07-17, jun. 2010.

Downloads

Published

01-08-2021

How to Cite

Oliveira, R. L. de, Kleber Fernandes Santana, W., Bessa Soares, E., Brust, C., Rodrigues Balbino, F., de Oliveira Campos da Veiga, D., Aparecida Alves Canto, E., Cristina Castro Soares, A., Rodrigues de Barros, R., Cabral Monteiro Terto, A., Almeida de Macedo, H., & de Menezes, A. (2021). WOMEN: DISCRIMINATION, VIOLENCE AND STRUGGLES IN CONTEMPORARY BRAZIL. International Journal for Innovation Education and Research, 9(8), 424–432. https://doi.org/10.31686/ijier.vol9.iss8.3311

Most read articles by the same author(s)