BIOE and the Teaching of Physics: inferences from the Critical Theory of Technology

Authors

DOI:

https://doi.org/10.31686/ijier.vol9.iss6.3158

Keywords:

BIOE, Critical Theory of Technology, Educational Objects, Teaching and learning of Physics

Abstract

This article reads from Andrew Feenberg's Critical Theory of Technology, analyzing the International Bank of Educational Objects (BIOE) in Physics teaching, investigating whether the Educational Objects (EO) available in BIOE contemplate a process of teaching and learning that is critical and reflexive and that articulates with one or more pedagogical conceptions linked to its educational objective. For this, the qualitative approach of the documentary type was used for data collection and content analysis to arrive at the results. Thus, we verify that the EO for Physics available in BIOE do not contemplate a critical and reflexive teaching and learning process articulated to one or more pedagogical conceptions linked to its educational objective; it does not broaden the problematization related to educational practices in physics towards the politicization of science and technology, in understanding the implications of an educational technology; and it is absent in the very understanding of human relations with such objects and the systems in which they operate, including the teaching and learning process.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Ingrid Aline de Carvalho Ferrasa, Federal University of Technology – Paraná

PhD student at the Graduate Program in Science and Technology

Awdry Feisser Miquelin, Federal University of Technology – Paraná

PPGECT - Graduate Program in Science and Technology (Professor) - UTFPR

Maria Ivete Basniak, Federal University of Technology – Paraná

 State University of Paraná (UNESPAR). PPGECT - Graduate Program in Science and Technology - UTFPR

Sani Carvalho Rutz da Silva, Federal University of Technology – Paraná

PPGECT - Graduate Program in Science and Technology (Professor) - UTFPR

References

Afonso, M. C. L.; Eirão, T. G.; Melo, J. H. M.; Assunção, J. S.; e Leite, S. V. (2011). Banco Internacional de Objetos Educacionais (BIOE): tratamento da informação em um repositório educacional digital. Perspectivas Em Ciência Da Informação, v. 16, n. 3, p. 148–158. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-99362011000300009. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-99362011000300009

Basniak, M. I, e Soares, M. T. (2017). ‘O Programa Paraná Digital : Contexto da Prática’, Revista de Estudos e Pesquisa sobre EnsinoTecnológico. Nº, 5, p. 84–98. Disponivel em: 200.129.168.183/ojs_mestrado01/index.php/teste/article/view/142.

Brasil. (2019a). Ministério da Educação. Banco Internacional de Objetos Educacionais (BIOE). Disponível em: Disponível em: http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/.

Brasil. (2019b). Ministério da Educação. Banco Internacional de Objetos Educacionais (BIOE). Disponível em: Disponível em: http://objetoseducacionais.mec.gov.br/#/ne/TUVESU8=/MTA1MDAwMDYtRu1zaWNh.

Bielschowsky, C. E.; Prata, C. L. (2010). Portal educacional do professor do brasil. Revista de Educacion, v. 352. Disponivel em: portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/materiais/0000013441.pdf.

Binotto, S. F. T.; Bassoa, M. V. A. (2012). Banco Internacional de Objetos Educacionais: um relato de experiência do Projeto Odin. Revista ACB, v. 17, n. 1, p. 174–193. Disponível em: https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/801.

Carvalho, I. A. (2007). A rede sociotécnica na formação de professores de Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias/Física. 172 p. Dissertação. (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. Disponível em: http://livros01.livrosgratis.com.br/cp096874.pdf.

Dagnino, R. (2006). Mais além da participação pública na ciência: buscando uma reorientação dos Estudos sobre Ciência, Tecnologia e Sociedade em Ibero-américa. CTS+I – Revista Iberoamericana de Ciência, Tecnologia, Sociedade e Inovacción (Madrid), México, v. 7. Disponível em: http://www.oei.es/historico/revistactsi/numero7/articulo02.htm.

Feenberg, A. (1995). Alternative Modernity. Berkeley: University of California Press.

Feenberg, A., (2005a). Heidegger and Marcuse: the Catastrophe and Redemption of History, Routledge. New York and London. 175 p.

Feenberg, A. (2005b). Teoria Crítica da Tecnologia: um panorama. Texto originalmente publicado em Tailor-Made BioTechnologies, vol.1, no.1, Abril-Maio, 2005.

Feenberg, A. (2002). Transforming Technology. New York, Oxford University Press. 233 p.

Feenberg, A. (2010c). Conferência. Ciclo de Conferências: A Teoria Crítica da Tecnologia. (abril-maio/2010). Universidade de Brasília, Brasília. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=2ofaot-XAsw.

Feenberg, A. (2009). “Critical Theory of Technology”, in Jan Kyrre Berg Olsen, Stig Andur Pedersen, Vincent F. Hendricks (Eds.). A Companion to Philosophy of Technology, Oxford, Blackwell Publishing. p. 146.

Feenberg, A. (2010b). O que é a filosofia da tecnologia? In: NEDER, R. T. (Ed.). A Teoria Crítica de Andrew Feenberg: Racionalização Democrática, Poder e Tecnologia. Brasília: Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina / CDS / UnB / Capes. p. 44-66.

Feenberg, A. (1999). Questioning Technology. New York and London: Routledge.

Feenberg, A. (2010a). Racionalização democrática, poder e tecnologia. Neder, R. t. (org) Brasília: Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina/Centro de Desenvolvimento Sustentável - CDS. Ciclo de Conferências. 282 p.

Ferrasa, I. A. C.; Miquelin, A. F. (2008). O contrato didático na interação professores, estudantes e novas tecnologias. Educação Profissional (Brasília), n.1. v. 2, p. 199-211.

Gregio, L. F. (2011). A Acessibilidade Dos Objetos Educacionais De Física : Possibilidades Para Pessoas Com Deficiência Visual. 167 p. Dissertação. (Mestardo em Educação). Universidade Estadual Paulista. Presidente Prudente. Disponivel em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/92253/gregio_lf_me_prud.pdf?sequence=1.

Kenski, V. M. (2012). Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas: Papirus

Latour, B. (2002). Ciência em Ação – seguindo cientistas e engenheiros sociedade afora.

Paris: Pandore.

Latour, B. (1994). Jamais Fomos Modernos. Rio de Janeiro, Ed. 34.

Lyotard, Jean-François. (1989). O inumano: considerações sobre o tempo. Ed: Estampa. Lisboa.

Mariconda, P. R. e Molina, F. T. (2009). Entrevista com Andrew Feenberg. Scientiae Studia. São Paulo, v.7, n. 1, p. 165–171. Disponivel em: https://doi.org/10.1590/s1678-31662009000100009.

Melques, P. M.; Schlunzen, E. T. M; Júnior, K. S. ; e Balan, A. M. O. A. (2010). Banco Internacional de Objetos Educacionais: uma ferramenta para auxiliar no processo de ensino-aprendizagem por meio do uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Etic - Encontro De Iniciação Científica, v. 6, n. 6. Disponivel em: http://intertemas.unitoledo.br/revista/index.php/ETIC/article/view/2609/2398.

Neder, R. T. Apresentação – O que (nos) quer dizer a Teoria Crítica da Tecnologia? In: Racionalização democrática, poder e tecnologia. Neder, R. t. (org) Brasília: Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina/Centro de Desenvolvimento Sustentável - CD. Ciclo de Conferências. 2010.

Ruas, P. A. A. R. (2012). A Utilização do Banco Internacioanl de Objetos Educacionais para a Formação de Professores de Física do Ensino Médio no Município de Santo André. 182 p. Dissertação. (Mestrado em Ensino, História e Filosofia das Ciências e da Matemática). Universidade Federal do ABC. Santo André.

Santarém Segundo, J. E. et. al. (2010). Integração do framework Manakin com a plataforma DSPACE para múltiplas apresentações visuais de informações nos repositórios digitais. In: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v.7, n. 2, p. 10-26. Disponível em: http://basessibi.c3sl.ufpr.br/brapci/index.php/article/download/10575. DOI: https://doi.org/10.20396/rdbci.v7i2.1954

Silva, E. L; Café, L.; e Catapan, A. H. (2010). Os objetos educacionais, os metadados e os repositórios na sociedade da informação. Ciência Da Informação, v. 39, n. 3, p. 93–104. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-19652010000300008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-19652010000300008

Singer, P. (1996). Poder, política e educação. Revista Brasileira de Educação, v. 1, n. 1, p. 5–15. Disponível em: www.ia.ufrrj.br/ppgea/conteudo/T2-1SF/.../Poder,%20política%20e%20educação.pdf.

Tarouco, L. M. R. Á.; Costa, V. M.; Ávila, B. G.; Bez, M. R.; Santos, E. F. (2014). Objetos de A prendizagem : teoria e prática. Disponível em: http://penta3.ufrgs.br/ObjetosAprendizagem/LivroOA-total.pd.

Downloads

Published

01-06-2021

How to Cite

Ferrasa, I. A. de C., Feisser Miquelin, A., Basniak, M. I. ., & Rutz da Silva, S. C. (2021). BIOE and the Teaching of Physics: inferences from the Critical Theory of Technology. International Journal for Innovation Education and Research, 9(6), 146–159. https://doi.org/10.31686/ijier.vol9.iss6.3158