Decoloniality and University Management Unveiling Knowledge in Managerial Narratives

Main Article Content

Fabiana Pinto de Almeida Bizarria
Mônica Mota Tassigny
Flávia Lorenne Sampaio Barbosa

Abstract

The research analyzes critical this points on talk twenty-one managers of a Federal University, dedicated to the Cooperation International Solidarity, having as theoretical support the South Epistemologies Project, which includes the Interceptor translation ultural and ecology of knowledge, and the Academic Dependency. By means of the speeches Critical Analysis examines four themes and two developments. The themes: “Novelt ” and Symbolic Power , unfolding from the perspective of organizational identity, adhesion and participation of its members; Academic training of students and the training of employees , including the perspective of training; Integration, Mobility, Excellence and Internationalization ; Research and Circulation of Knowledge, unfolding in the configuration of Knowledge, Experiences and Knowledge. Some questions are conclusive: a set of arguments that intend the vision of science, within its Eurocentric aspect, institutionalized and reproduced in academic dependence; the affirmation of interculturality as a power, which manifests itself in the exclusion of difference; the significance that the Institution assumes and that propagates as power struggles; identity fragmentation, in the context of managerial actions; and in the “struggle” “decolonial”, which addresses the confrontation of multiple knowledge in the conformation of “other” possibilities of social life.

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

How to Cite
Bizarria, F. P. de A. ., Tassigny, M. M. ., & Barbosa, F. L. S. . (2020). Decoloniality and University Management: Unveiling Knowledge in Managerial Narratives. International Journal for Innovation Education and Research, 8(11), 246–264. https://doi.org/10.31686/ijier.vol8.iss11.2741
Section
Articles
Author Biographies

Fabiana Pinto de Almeida Bizarria, Universidade da Integração Internacional da Lusfonia Afro-Brasileira

Doutora em Administração, Faculdade Luciano Feijão

Mônica Mota Tassigny, Universidade de Fortaleza

Doutora em Educação

Flávia Lorenne Sampaio Barbosa, Universidade Federal do Piauí

Doutora em Administração

References

ALATAS, S. F. Academic Dependency and the Global Division of labour in the social sciences. Current Sociology, v, 51, n. 6, p. 599-613, 2003.

ALATAS, S. Editorial Introduction: The idea of autonomous sociology. Cuurent Sociology, n. 5-6, v. 54, 2006.

ALATAS, S. A definição e os tipos de discursos alternativos. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n. 46, v. 23, p. 225-245, jul./dez. 2010.

ALATAS, S. Doing sociology in South East Asia. Cultural Dynamics, n. 2, v. 27, p. 191-202, 2015.

ALMEIDA FILHO, N. de. Universidade Nova: textos críticos e esperançosos. Brasília, DF: Ed. da Universidade de Brasília; Salvador: EDUFBA, 2007.

BEIGEL, F. Centros e periferia na circulação internacional do conhecimento. Nueva Sociedad, especial em português, set. 2013.

BEIGEL, F. A Teoria Acadêmica em seu Laboratório. Crítica e Sociedade: Revista de Cultura Política, n. 2, v. 4, Dossiê: pensamento social, desenvolvimento e desafios contemporâneos, dez. 2014a.

BEIGEL, F. Introdução: Current tensions and trends in the World Scientific System. Current Sociology, n. 5, v. 62, p. 617-625, 2014b.

BEIGEL, F. El nuevo caráter de la dependência intelectual. Cuestiones de Sociología, n. 14, 2016.

BHAMBRA, G. K. Introduction: Knowledge production in global context: Power and coloniality. Current Sociology Monograph, v. 62, n. 4, p. 451-456, 2014.

BONET, A. J. A. Hacia una Nueva Filosofía de la Historia: una revisión crítica de la idea de progresso a la luz de la epistemologia del sul. Aposta: Revista de Ciências Sociais, n. 47, Oct./Nov./Dic. 2010.

CANÃS, F. C.; GALLEGO, J. D. M. La decolonización del saber epistémico en la universidad. Cuadernos de Filosofía Latinoamericana, v. 27, n. 115, p. 285-302, 2016.

COLOSSI, N. Crise e mudança: significado para a gestão universitária. Revista Professare, Caçador, v. 4, n. 3, p. 69-84, 2015.

CONNELL, R. A iminente revolução na teoria social. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 27, n. 80, p. 9-20, 2012. (Trad. João Maia).

CONNELL, R. Using Southern Theory: Decolonizing Social Thought in Theory, Research and Application. Planning Theory, n. 2, v. 13, p. 210-223, 2013.

CONNELL, R. Usando a teoria do sul: descolonizando o pensamento social na teoria, na pesquisa e na prática. Epistemologias do Sul, Foz do Iguaçu/PR, v. 1, n. 1, p. 87-109, 2017.

CORTÉS, L. S. M.; DIETZ, G.; ZUANY, R. G. M. ¿Saberes-haceres interculturales? -experiencias profesionales y comunitárias de egresados de la educación superior intercultural veracruzana. Revista Mexicana de Investigación Educativa, v. 21, n. 70, p. 809-835, 2016.

CUNHA, L. A. Autonomia universitária: teoria e prática. Avaliação: Revista da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior, v. 10, n. 1, p. 31-49, 2005.

DUSSEL, E. Transmodernidade e Interculturalidade: interpretação a partir da filosofia da libertação. Revista Sociedade e Estado, v. 31, n. 1, jan./abr. 2016.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Coordenadora da tradução, revisão técnica e prefácio- Izabel Magalhães. Brasília: Ed. da Universidade de Brasília, 2001b.

FAIRCLOUGH, N. Discourse Analysis in Organization Studies: The Case for Critical Realism. Organization Studies, v. 26, n. 6, 2005.

FAIRCLOUGH, N.; MELO, I. F. de. Análise crítica do discurso como método em pesquisa social científica. Linha d’Água, v. 25, n. 2, p. 307-329, 2012.

FRANCO, M. E. D. P.; MOROSINI, M. C. Políticas Públicas de Educação Superior: compromissos, cooperação e desafios. Série-Estudos-Periódico do Mestrado em Educação da UCDB, Campo Grande-MS, n. 16, p. 133-146, jul./dez. 2003.

GARCIA, S. G.; CARLOTTO, M. C. Tensões e contradições do conceito de organização aplicado à universidade: o caso da criação da USP-Leste. Avaliação, Campinas; Sococaba, SP, v. 18, n. 3, p. 657-684, nov. 2013.

GIURLEO, P. M. Los Ensayos, El Sur Y Los Subalternos. Ofícios Terrestres, n. 31, p. 101-109, jul./dez. 2014.

GOHN, M. da G. Movimentos na Contemporaneidade. Revista Brasileira de Educação, v. 16, maio/ago. 2011.

GUIRALDELLI, R. Trabalho, trabalhadores e questão social na sociabilidade capitalista. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, v. 17, n. 1, 2014.

HALFFMAN, W.; RADDER, H. The Academic Manifesto: From an Occupied to a Public University. Minerva, v. 53, p. 165-187, 2015.

JUNCKLAUS, L. R.; BINI, T. J.; MORETTO NETO, L. Independência ou Norte: reflexões sobre a influência do estrangeirismo no campo do conhecimento da administração no Brasil. Revista Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, jan./mar. 2016.

LANDER, E. Ciências sociais: saberes coloniais e eurocêntricos. In: LANDER, E (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005.

LIMA, D. M. de O. Campo do poder, segundo Pierre Bourdieu. Cógito, Salvador, n. 11, p. 14-19, out. 2010.

MAGALHÃES, C. M. A análise crítica do discurso enquanto teoria e método de estudo In: ______. (Org.). Reflexões sobre a análise crítica do discurso. Belo Horizonte: Faculdade de Letras, UFMG, 2001.

MÁRQUEZ-FERNÁNDEZ, A. B. Alternativas epistémicas para las ciências sociales desde el sul. Revista de Filosofia, n. 70, p. 83-97, 2012.

MARTINS, C. B. Sociologia e Ensino Superior: encontro ou desencontro? Sociologias, Porto Alegre, ano 14, n. 29, p. 100-127, jan./abr. 2012.

MELLO, R.; RAWET, V.; CAPELA, L.; MAFFEI, B. A coordenação de extensão, pesquisa e ensino do SOLTEC/UFRJ e o compromisso com a transformação social. In: ADDOR, F. (Org.). Extensão e Políticas Públicas – O agir integrado para o desenvolvimento social. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ, 2015.

MENEGHEL, S.; AMARAL, J. Universidades internacionais na contracorrente. As propostas da Unila e da Unilab. Universidades - UDUAL, México, n. 67, jan./mar. 2016.

MENEGHEL, S.; NOGUEIRA, J. F. F.; VIEIRA, S. L. Unilab: uma proposta freiriana de Universidade popular? Eccos – Revista Científica, n. 42, p. 21-37, jan./abr. 2017.

MENESES, M. Para ampliar as Epistemologias do Sul: verbalizando sabores e revelando lutas. Configurações: Revista de Sociologia, n. 12, 2013.

MESSINA, G. Mudança e inovação educacional: nota para reflexão (Tradução Isolina Rodriguez Rodriguez. Cadernos de Pesquisa, n. 114, p. 225-233, 2001.

MIGNOLO, W. D. Spirit out of bounds returns to the East: The closing of the social sciences and the opening of independente thoughts. Current Sociology Monograph, n. 4, v. 62, p. 584-602, 2014.

MIGNOLO, W. Desafios decoloniais de hoje. Epistemologias do Sul, Foz do Iguaçu/PR, v. 1, n. 1, p. 12-32, 2017.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

MOTA DÍAZ, L. La Colonialidad del saber en la enseñanza de políticas públicas en instituciones de educación superior en México. Estudios Políticos, Medelín, n. 49, p. 239-259, Jul./Dic. 2016.

MOZZATO, A. R.; GRZYBOVSKI, D. Abordagem Crítica nos Estudos Organizacionais: Concepção de indivíduo sob a perspectiva emancipatória. Cadernos EBAPE.BR, v. 11, n. 4, dez. 2013.

NDLOVU, M. Por que saberes indígenas no século XXI? Uma guinada decolonial. Epistemologias do Sul, Foz do Iguaçu/PR, v. 1, n. 1, p. 127-144, 2017.

NUNES, C. O conceito de movimento social em debate: dos anos 60 até a atualidade. Sociologia, Problemas e Práticas, Lisboa, n. 75, p. 131-147, maio 2014.

PATRUS, R.; DANTAS, D. C.; SHIGAKI, H. B. O produtivismo acadêmico e seus impactos na pós-graduação stricto sensu: uma ameaça à solidariedade entre pares? Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, jan./mar. 2015.

PÉREZ, P. E.; SOLANAS, F. Instrumentalización de la acción pública en educación superior en Argentina. Políticas sobre trabajo académico y negociación colectiva. Íconos. Revista de Ciências Sociales, v. 53, p. 67-84, set. 2015.

QUIJANO, A. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, B.de S.; MENESES, M. P. (Org.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Edições Almedina, 2009.

RASMUSSEN, B. From Collegial Organization to Strategic Management of Resources: Changes in Recruitment in a Norwegian University. SAGE Open, p. 1-12, Jul./Sep. 2015.

RÉMY, A. S. O elemento curricular jurídico e o fator internacional no curso de Administração Pública da UNILAB: um desafio à cooperação solidária lusófona universitária. In: FREIRE, J. V. da S.; VARELA, B. L.; PACHECO, J. A.; GALVÃO-BAPTISTA, M. (Org.). Educação Superior – Desenvolvimento e Cooperação Sul-Sul. Belém: UFPA; Praia: Edições Uni-CV, 2017.

REYES, J. M. Universidad, decolonización e interculturalidad otra. Más allá de la “hybris del punto cero”. Revista de Filosofia, n. 75, p. 66-86, 2013.

ROBERTS, C.; CONNELL, R. Feminist theory and the global South. Feminist Theory, v. 17, n. 2, p. 135-140, 2016.

ROSA, M. C. Theories of the South: Limits and perspectives of an emergente movement in social sciences. Current Sociology, v. 62, n. 6, p. 851-867, 2014.

SALATINO, M. Más allá de una epistemologia desde el sul. Revista de Filosofia, n. 77, p. 61-64, 2014.

SANDER, B. Administração da Educação no Brasil: genealogia do conhecimento. Brasília, DF: Liber Livro, 2007.

SANTOS, B. de S. Por que é tão difícil construir uma teoria crítica? Revista Crítica de Ciências Sociais, v. 54, p. 197-215, 1999.

SANTOS, B. de S. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 63, p. 237-280, out. 2002.

SANTOS, B. de S. Para além do Pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Revista Crítica de Ciências Sociais, v. 78, p. 3-46, 2007a.

SANTOS, B. de S. Renovar a teoria crítica e reinventar a emancipação social. São Paulo: Boitempo Editorial, 2007b.

SANTOS, B. de S. Um Ocidente Não‐Ocidentalista?: a filosofia à venda, a douta ignorância e a aposta de Pascal. In: SANTOS, B.de S.; MENESES, M. P. (Org.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Edições Almedina, 2009.

SANTOS, B. de S. A Universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2010. (Coleção questões da nossa época).

SANTOS, B. de S.; ARAÚJO, S.; BAUMGARTEN, M. As Epistemologias do Sul num mundo fora do mapa. Sociologias, Porto Alegre, ano 18, n. 43, p. 14-23, set./dez. 2016.

SANTOS, B. de S.; MENESES, M. P. Introdução. In: SANTOS, B.de S.; MENESES, M. P. (Org.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Edições Almedina, 2009.

SGUISSARDI, V. Educação superior no brasil. democratização ou massificação mercantil? Educação & Sociedade, v. 36, n. 133, p. 867-889, 2015.

SPATTI, A. C.; SERAFIM, M. P.; DIAS, R. de B. B. Universidade e pertinência social: alguns apontamentos para reflexão. Avaliação, Campinas, SP, v. 21, n. 2, p. 341-360, jul. 2016.

SUBRAMANIAM, M.; PERRUCCI, R.; WHITLOCK, D. Intellectual Closure: A Theoretical Framework Linking Knowledge, Power, and the Corporate University. Critical Sociology, v. 40, n. 3, p. 411-30, 2014.

TEIXEIRA, R. H. A perda e o medo: história e imaginário em um universo social em transformação. 2007. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Faculdade de Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

TILLEY, L. Resisting Piratic Method by Doing Reserch Otherwise. Sociology, v. 51, n. 1, p. 27-42, 2017

ZANELLI, J. C.; SILVA, N. Interação humana e gestão: a constituição psicossocial das organizações de trabalho. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008.

Most read articles by the same author(s)