Geographical Indication

a proposal for measuring centrality

Authors

  • Denise Lemos Garcia
  • Gabriel Francisco da Silva Federal University of Sergipe
  • André Luiz Gomes de Souza Federal University of Sergipe
  • José Pereira Mascarenhas Bisneto Federal University of Recôncavo da Bahia
  • Emerson de Sousa Silva Federal University of Bahia

DOI:

https://doi.org/10.31686/ijier.vol7.iss12.2096

Keywords:

development, measurement, Indicators

Abstract

The present work discusses Geographical Indications, which have increasingly grown in Brazil, becoming of extreme importance for territorial development. With this in mind, this work is aimed at establishing a centrality indicator for municipalities, capable of contributing for Geographical indication, based on the development on the Gross Domestic Product (GDP) of services for promoting local development. The measurement of centrality adopted in this work is based on the arrangement of GDP data on services, according to the Central Place Theory, in which cities are hierarchically organised and some services are only provided by more relevant locations. The database used for assessing the levels of centrality of municipalities were divided into four different groups: participation of the gross value added of services, excluding public administration on the gross value at total current prices; in the state level; in the microregion; in the country. The analysis observed simple structure averages to operationalise the hierarchical ruler, having established that the best route concerned attributing weighting coefficients to the group of indicators through a linear combination algorithm. It is important to point out that the most important tool considered included the Principal Component Analysis (PCA). Accordingly, it was established that a location is an important territory with what concerns the spatial contour, with the service sector (excluding the public service) having an impact on local economy. Therefore, the registration of a Geographical Indication may promote economic development, attributed to the increase in local production, demand and greater added value and, consequently, an upsurge in the generation of jobs and wealth, having a relevant impact in the notoriety of the region.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Gabriel Francisco da Silva, Federal University of Sergipe

Post-Graduation Program in Intellectual Property Science, Federal University of Sergipe.

André Luiz Gomes de Souza, Federal University of Sergipe

Post-Graduation Program in Intellectual Property Science, Federal University of Sergipe 

Emerson de Sousa Silva, Federal University of Bahia

Post-Graduation Unit of Administration of UFBA, Federal University of Bahia

 

References

ARAÚJO, José Júlio César Nascimento; ALMEIDA, Neuler André Soares; RODRIGUES, Francisco Mendes. A Teoria dos Lugares Centrais e sua aplicabilidade no Programa Zona Franca Verde no Amazonas. Redes (Santa Cruz do Sul. Online), v. 14, n. 1, p. 106-120, 2009.

BEZERRA, F.A. Análise Fatorial. In: CORRAR, L. J.; Paulo, E.; DIAS FILHO, J. M. (Orgs.). Análise Multivariada: para Os Cursos de Administração, Ciências Contábeis E Economia. São Paulo: Atlas, 2009.

BRADFORD, M. G. et al. Geografia Humana: teorias e suas aplicações. 1987.

BRASIL. Lei no 9.279 de 14 de maio de 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 15 maio, 1996.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O que é Indicação Geográfica (IG)? 2017: Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/indicacao-geografica/o-que-e-indicacao-geografica-ig>. Acesso em: 28 de set de 2019.

CADOT, Y.; CAILLÉ, S.; THIOLLET-SCHOLTUS, M.; SAMSON, A.; BARBEAU, G.; CHEYNIER, V. Characterisation of typicality for wines related to terroir by conceptual and by perceptual representations: an application to red wines from the Loire Valley. Food Quality and Preference, v. 24, n. 1, p. 48-58, 2012.

CALDAS, Alcides dos Santos; CERQUEIRA, Patrícia da Silva; PERIN, Teresinha de Fátima. Mais além dos arranjos produtivos locais: as indicações geográficas protegidas como unidades de desenvolvimento local. RDE-Revista de Desenvolvimento Econômico, v. 7, n. 11, 2007.

COSTA, Sandra Maria Fonseca da; CARMO, Monique Bruna Silva do; BARJA, Paulo Roxo. A hierarquia urbana no delta do rio Amazonas e a importância das pequenas cidades. urbe, Rev. Bras. Gest. Urbana , Curitiba, v. 11, e20180014, 2019. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S217533692019000100224&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 13 out. 2019.

CUNHA, Alexandre Mendes; SIMÕES, Rodrigo Ferreira; PAULA, João Antônio de. Regionalização e história: uma contribuição introdutória ao debate teórico-metodológico. Textos para Discussão Cedeplar-UFMG td260, Cedeplar, Universidade Federal de Minas Gerais, 2005.

FERREIRA, Daniel Furtado. Estatística Multivariada. 1.ed. Lavras: Ed. UFLA, 2008.

FROEHLICH, J. M.. Indicações Geográficas e desenvolvimento territorial as percepções das organizações representativas da agricultura familiar na Espanha. Estudos Sociedade e Agricultura (UFRJ), v. 20, 2012, p. 485-508.

INPI. Instituto Nacional de Propriedade Industrial. Instrução Normativa no 095/2018, de 28 de dezembro de 2018. Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). 2018.

JANNUZZI, Paulo de Martino. Indicadores Sociais no Brasil: conceitos, fontes de dados e aplicações. Campinas: Alínea, 5ª edição, 160p., 2012.

________________________. Considerações sobre o uso, mau uso e abuso dos indicadores sociais na formulação e avaliação de políticas públicas municipais. IN: Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro 36(1): 51-72, jan/fev. 2002. Disponível em: <http://www.ebape.fgv.br/academico/asp/dsp_rap_artigos.asp?cd_edi=14> Acesso em 07 out. 2019.

LATTIN, J.; CARROL, J. D.; GREEN, P. E. Análise de dados multivariados. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

LOESCH, C.; HOELTGEBAUM, M. Métodos estatísticos multivariados. São Paulo: Saraiva, 2012.

MINGOTI, S. A. Análise de dados através de métodos de estatística multivariada: uma abordagem aplicada. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, MAPA. Guia para Solicitação de registro de indicação Geográfica para produtos Agropecuários 2007.pdf. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/indicacao-geografica/arquivos-publicacoes-ig/guia-para-solicitacao-de-registro-de-indicacao-geografica-para-produtos-agropecuarios-2007.pdf/view>. Acesso em: 05 out. 2019.

MULLIGAN, Gordon F.; PARTRIDGE, Mark D.; CARRUTHERS, John I. Central place theory and its reemergence in regional science. The Annals of Regional Science, Springer, Western Regional Science Association, v. 48, n. 2, p. 405-431, 2012.

PINHEIRO, Maurício Mota Saboya. As liberdades humanas como bases do desenvolvimento: uma análise conceitual da abordagem das capacidades humanas de Amartya Sen. Texto para Discussão, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), 2012.

RIBEIRO, Cláudio Oliveira; MENEZES, Roberto Goulart. Políticas públicas, pobreza e desigualdade no Brasil: apontamentos a partir do enfoque analítico de Amartya Sen. Textos & Contextos, v. 7, n. 1, p. 42-55, Porto Alegre, 2008.

ROBERTSON, Peter J. Rumo a uma abordagem de capacidade para carreiras: aplicando o pensamento de Amartya Sen à orientação e desenvolvimento de carreira. Revista Internacional de Orientação Educacional e Profissional, v. 15, n. 1, p. 75-88, 2015.

ROGERSON, P. A. Métodos estatísticos para Geografia: um guia para o estudante. Porto Alegre: Bookman, 2012.

SACHS, I. Desenvolvimento: includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

SEN, A. Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SILVA, S. A; QUEIROZ, D. M.; PINTO; F. A. C.; SANTOS; N. T. Characterization and delimitation of the terroir coffee in plantations in the municipal district of Araponga, Minas Gerais. Revista Ciência Agronômica, v.45, n.1, p.18-26, 2014.

SPOSITO, M. E. B. A gestão do território e as diferentes escalas da centralidade urbana. Território. Rio de Janeiro: ano III, nº 4, jan. - jun. 1998. P. 27 -37.

TONIETTO, J. Experiência de desenvolvimento de certificação: Vinhos de Indicação de procedência vale dos Vinhedos. In: LAGES, V; LAGARES, L. BRAGA; C. L.(org.). In: Valorização de produtos com diferencial de qualidade e identidade: Indicações geográficas para competitividade nos negócios. Brasília: Sebrae, 2005.

TORRES, J. A. S.; SILVA, D. A.; MENDONÇA, F. L. L.; BARBOSA, N. F.; JÚNIOR, R. T. S. Melhoria da precisão dos indicadores na governança digital de serviços públicos à vista da análise de bases de dados de empregabilidade. Inclusão Social, v. 12, n. 2, 2019. Disponível em: <http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/114980>. Acesso em: 15 nov. 2019.

TRZESNIAK, P. Indicadores quantitativos: reflexões que antecedem seu estabelecimento. Ciência da Informação, v. 27, n. 2, 1998. DOI: 10.18225/ci.inf..v27i2.797 Acesso em: 18 set. 2019.

______________. Indicadores quantitativos: como obter, avaliar, criticar e aperfeiçoar. NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, v. 4, n. 2, p. 5-18, 2014.

ZAMBAM, Neuro José. Amartya Sen: Liberdade, justiça e desenvolvimento sustentável. Passo Fundo: IMED, 2012.

Downloads

Published

31-12-2019

How to Cite

Garcia, D. L., Silva, G. F. da, Souza, A. L. G. de, Bisneto, J. P. M., & Silva, E. de S. (2019). Geographical Indication: a proposal for measuring centrality. International Journal for Innovation Education and Research, 7(12), 462–473. https://doi.org/10.31686/ijier.vol7.iss12.2096

Most read articles by the same author(s)