Intellectual Property in the Brazilian Agricultural Sector A Case Study of the Inter-University Network for the Development of the Sugar-Energy Sector (RIDESA)

Main Article Content

Marcia Brito Nery Alves
Ana Eleonora Almeida Paixão

Abstract

Intellectual property is a legal device that guarantees the individual or legal entity the protection of their creations, be they products or processes, covering copyright, industrial property and sui generis protection, modality in which the plant variety property rights are included. In this sense, this paper analyzes the intellectual property rights in the Brazilian agricultural sector, through a case study of the Inter-University Network for the Development of the Sugar-Energy Sector (RIDESA), by raising data related to research, development and protection of sugarcane cultivars, designated by the prefix Republic of Brazil (RB). In order to do so, a brief historiography of the evolution of legislation on the subject, the conditions and consequences of Brazil's adherence to international agreements such as “Trade Related Aspects of Intellectual Property Rights” (TRIPS) and the convention of “International Union for the Protection of New Varieties of Plants” (UPOV), as well as, a survey about the emergence and role of RIDESA as a collaborative innovation network was also carried out. As a result, it was possible to conclude that the issue of intellectual property rights on cultivars is multidimensional and suggest the need for creation of functional and consolidated models of knowledge management in collaborative innovation network. Among the elements and factors constituting the crisis in the Brazilian sugar-energy sector, mainly on the basis of the varietal census for the states of the northeast region (especially the state of Alagoas), it was possible to point the importance of RIDESA in the context of overcoming crisis of the sugar-energy sector through innovation.

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

How to Cite
Alves, M. B. N., & Paixão, A. E. A. (2019). Intellectual Property in the Brazilian Agricultural Sector. International Journal for Innovation Education and Research, 7(2), 54-67. https://doi.org/10.31686/ijier.Vol7.Iss2.1321
Section
Articles

References

[1] BASSI, Camila Ychikawa. (2012), Política externa brasileira e cultivares: impactos dos direitos de propriedade intelectual. Dissertação de Mestrado. Ciências Sociais. Universidade Estadual Paulista, Fac. de Filosofia e Ciências. http://www.athena.biblioteca.unesp.br/exlibris/bd/bma/33004110042P8/2012 /bassi_cy_me_mar.pdf.

[2] CARVALHO, Sérgio Medeiros Paulino de. (2003), Propriedade intelectual na agricultura. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Política Científica e Tecnológica. Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências. Campinas. http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/ document/?down=vtls000311537&idsf=.

[3] CARVALHO, Sergio Medeiros Paulino de; SALLES-FILHO, Sergio L. M; PAULINO, Sonia R. (2007), Propriedade intelectual e organização da P&D vegetal: evidências preliminares da implantação da Lei de Proteção de Cultivares. Revista de Economia e Sociologia Rural, RER, Rio de Janeiro, vol. 45, nº 01, p. 009-026. http://www.scielo.br/pdf/resr/v45n1/01.pdf.

[4] CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento. Cana-de-açúcar - Brasil. Série Histórica de Área Plantada. Safras 2005/06 a 2015/16. Brasília: CONAB, 2015. http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads /arquivos/ 16_04_18_14_58_56_canaseriehist.xls.

[5] FRANCISCO, Alison Cleber. (2009), Royalties de cultivares transgênicas: sua formação no plano nacional e internacional sob a convenção da UPOV. Dissertação de Mestrado. Departamento de Direito Comercial da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. http://www.teses.usp.br/teses /disponiveis/2/2132/tde-14102010-163531/publico/Dissertacao_final.pdf.

[6] FREITAS, André Santos de. (2006), O papel das instituições públicas no desenvolvimento de novas variedades de plantas cultivadas. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Agronegócios. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. http://www.lume.ufrgs.br/ bitstream/handle/10183/7860/000558825.pdf?sequence=1.

[7] FRONZAGLIA, T. e MARTINS, R. (2005), O avanço institucional do sistema de inovação sucroalcooleiro. Instituto de Economia Agrícola. http://www.iea.sp.gov.br/out/verTexto.php?cod Texto=2476.

[8] MASCARENHAS, Gilberto. (2004), A biodiversidade brasileira no âmbito do acordo TRIPS. Revista Brasileira de Inovação. Volume 3, Número 2. http://ocs.ige.unicamp.br/ojs/rbi/article/ download/277/193.

[9] PADILHA, Alexandre Garcia. (2012), A influência do direito da concorrência na proteção internacional dos direitos de propriedade intelectual: especial referência aos artigos 8.2 e 40 do acordo TRIPS. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Direito. Universidade de São Paulo. http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/2/2135/tde-11122012-110936/publico/20120111_dissertacao_ versao_CORRIGIDA_01082012_Alexandre_Garcia_Padilha.pdf.

[10] PEGORIN, M. C; ANDRADE, R. M. T. (2011), Gestão da inovação e governança ambiental: um estudo das redes de inovação do setor sucroenergético. VII Congresso Nacional de Excelência em Gestão. http://www.excelenciaemgestao.org/Portals/2/documents/cneg7/anais/T11_0410_ 1668.pdf.

[11] RIDESA - Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroalcooleiro. Censo Varietal Brasil - 2016/17. .

[12] VIDAL, M. F.; SANTOS, J. A. N.; SANTOS, M. A. (2006), Setor sucroalcooleiro no nordeste brasileiro: estruturação da cadeia produtiva, produção e mercado. Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural. http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Repositorio/Cadeia_produtiva_cana_ Nordeste _000fizv2wfh02wyiv802hvm3jme55p60.pdf.

[13] VIEIRA, Adriana Carvalho Pinto; BUAINAIN, Antônio Márcio; DAL POZ, Maria Estér; VIEIRA JUNIOR, Pedro Abel. (2010), Patenteamento da biotecnologia no setor agrícola no Brasil: uma análise crítica. Revista Brasileira de Inovação. Rio de Janeiro (RJ), 9 (2), p. 323-354. http://ocs.ige.unicamp.br/ojs/rbi/article/download/477/292.

[14] VIEIRA FILHO, José Eustáquio Ribeiro; VIEIRA, Adriana Carvalho Pinto. A inovação na agricultura brasileira: uma reflexão a partir da análise dos certificados de proteção de cultivares. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.- Brasília. Ipea: Rio de Janeiro, agosto de 2018.

[15] YAMAMURA, Simone. (2006), Plantas transgênicas e propriedade intelectual: ciência, tecnologia e inovação no Brasil frente aos marcos regulatórios. Dissertação de Mestrado. Política Científica e Tecnológica. Instituto de Geociências. Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP : [s.n.]. http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?down=vtls000391399.