Corporate Strategic Management a Proposal for the Use of Sustainability Performance Indicators

Main Article Content

José Ademir de Souza
Orandi Mina Falsarella
Celeste Aida Sirotheau Corrêa Jannuzzi
Samuel Carvalho De Benedicto

Abstract

A sustentação do tema é uma das principais organizações, uma vez que a saúde é sustentável e alinhada com os indicadores sociais e ambientais para melhorar a imagem corporativa e a melhor vantagem competitiva. Por meio de componentes de Planejamento Estratégico de Negócios, contamos com as ferramentas de gerenciamento do Balanced Scorecard, é possível realizar as práticas do ambiente de produção com a implementação de metas e objetivos estratégicos, porém essa integração ainda não é traduzida como real meio ambiente e contraído pela atividade central da empresa dentro da perspectiva da sustentabilidade.Portanto, este estudo é baseado em uma estratégia de gestão baseada no Balanced Scorecard, que também considera os indicadores de desempenho de sustentabilidade, dentro da economia, dimensões sociais e ambientais, a fim de permitir que os gestores se desenvolvam e sigam a organização Planejamento Estratégico de Negócios e Gestão estática está funcionando no nível operacional de sustentabilidade desejável. Como metodologia, o estudo baseou-se em uma pesquisa qualitativa-quantitativa, exploratória e prescritiva. Como este é o seu método de estudo, as estatísticas e critérios hídricos, sob parâmetros qualitativos e quantitativos, são suas estratégias e metas em direção às operações para um desempenho de sustentabilidade satisfatório.o estudo baseou-se em pesquisa qualitativa-quantitativa, exploratória e prescritiva. Como este é o seu método de estudo, as estatísticas e critérios hídricos, sob parâmetros qualitativos e quantitativos, são suas estratégias e metas em direção às operações para um desempenho de sustentabilidade satisfatório. o estudo baseou-se em pesquisa qualitativa-quantitativa, exploratória e prescritiva. Como este é o seu método de estudo, as estatísticas e critérios hídricos, sob parâmetros qualitativos e quantitativos, são suas estratégias e metas em direção às operações para um desempenho de sustentabilidade satisfatório.

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

How to Cite
Souza, J., Falsarella, O., Jannuzzi, C., & De Benedicto, S. (2019). Corporate Strategic Management. International Journal for Innovation Education and Research, 7(1), 241-258. https://doi.org/10.31686/ijier.Vol7.Iss1.1311
Section
Articles
Author Biographies

Orandi Mina Falsarella, Pontifical Catholic University of Campinas / SP-Brazil

Doutor em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Brasil.

Pesquisador do Mestrado em Sustentabilidade Pontifícia Universidade Católica de Campinas / SP-Brasil

Celeste Aida Sirotheau Corrêa Jannuzzi, Pontifical Catholic University of Campinas / SP-Brazil

PhD in Communication Sciences from the University of São Paulo (USP), Brazil.

Researcher of the Master's degree in Sustainability Pontifical Catholic University of Campinas / SP-Brazil

Samuel Carvalho De Benedicto, Pontifical Catholic University of Campinas / SP-Brazil

PhD in Administration from the Federal University of Lavras (UFLA), Brazil

Researcher of the Master's degree in Sustainability Pontifical Catholic University of Campinas / SP-Brazil

References

Almeida, F. (2002). O bom negócio da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.
Arruda, L., & Quelhas, O. L. G. (2010). Sustentabilidade: um longo processo histórico de reavaliação crítica da relação existente entre a sociedade e o meio ambiente. Boletim Técnico do Senac: a Revista da Educação Profissional, 36 (3), 54-63.
Batista, M. E. M., & Silva, T. C. (2006). O modelo ISA/JP - indicador de performance para diagnóstico do saneamento ambiental urbano. Engenharia Sanitária e Ambiental, 11(1), 55-64.
Boff, L. (2012) Saber cuidar: ética do humano. Available: . Access: 28th ago. 2018.
Chamusca, A. I., Colombo, B. A., Gadioli, B. C., Dias, C. A., Mukai, C. Y., Centeno, C. R., Jobim, C. M., Dilly, E. K., Dallabrida, I. S., Queiroz, J. S., Marques, L. A., Perini, M. P., Zamboin, M. E, Eugênio, N. F., Regio, S. H., & Acar, T. (2008). Responsabilidade social das empresas: a contribuição das universidades. São Paulo: Peirópolis.
Drexhange, J., & Murphy, D.(2010). Sustainable development: from Brundtland to Rio 2012. Available: . Access: 28th ago. 2018.
Drucker, Peter F. (1977). Introdução à Administração. São Paulo: Pioneira.
Elkington, J. (1994). The sustainable corporation: win-win-win business strategies for sustainable development. California Management Review, 36(2), 90-100.
Elkington, J. (1999). Cannibals with forks. New Jersey: John Wiley & Sons.
Elkington, J. (2012). Sustentabilidade, canibais com garfo e faca. São Paulo: Makron Books
Epstein, M. J., & Roy, M. J. (2001). Sustainability in action: identifying and measuring the key performance drivers. Long Range Planning, 34(5), 585-604.
Falsarella, O. M., & Jannuzzi, C. A. S. C. (2017). Planejamento estratégico empresarial e planejamento de tecnologia de informação e comunicação: uma abordagem utilizando projetos. Gestão & Produção 24(3), 610-621.
Francischini, A. S. N., & Francischini, P. G. (2017). Indicadores de desempenho dos objetivos à ação-métodos para elaborar KPIs e obter resultados. Rio de Janeiro: Alta Books.
Friedman, M. (1970). The social responsibility of business is to increase its profit. Available: . Access: 10th ago. 2018.
Frolich, C. (2014). Publicações internacionais sobre sustentabilidade: uma revisão de artigos com o uso da técnica de análise de conteúdo qualitativa. Revista de Administração da Unversidade Federal de Santa Maria, 7(2), 178-195.
Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.
Giovannonni, E., & Fabietti, G. (2014). What is sustainability? a review of the concept and its applications. In: Busco, C., Frigo, M. L., Riccabone, A., & Quattroni, P. (eds.). Integrated Reporting concepts and cases that redefines corporate accountability. Switzerland: Springer International Publishing. pp. 21-40.
Jensen, M. (2001). Value maximization, stakeholder theory, and the corporate objective function. Available: . Access: 14th ago. 2018.
Kaplan, R. S., & Norton D. P. (1997). A estratégia em ação: balanced scorecard. Rio de Janeiro: Campus.
Kaplan, R. S., & Norton, D. P. (2004). Mapas estratégicos: balanced scorecard. Rio de Janeiro: Campus.
Kotler, P. (1992). Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle. São Paulo: Atlas.
Meadows, D. H, Meadows, D. L., Randers, J., & Behrens III, W. W. (1972). The limits of growth - a report for the club of rome's project on the predicament of mankind. New York: Universe Books.
Mikhailova, I. (2004). Sustentabilidade: evolução dos conceitos teóricos e os problemas da mensuração prática. Revista Economia e Desenvolvimento, 1(16), 22-41.
Oliveira, L. R., Medeiros, R. M., Terra, P. B., & Quelhas, O. L. G. (2012). Sustentabilidade: da evolução dos conceitos à implementação como estratégia nas organizações. Produção, 22(1), 70-82.
Prieto, V. C., Alves, F. L. P., Carvalho, M. M., & Barbin, F. J. L. (2006). Fatores críticos na implementação do balanced scorecard. Gestão & Produção, 13(1), 81-92.
Rubenstein-Montano, B., Liebowints, J., Buchwalter, J., Mccraw, D., Newman, D., & Rebeck, D. (2001). Systems thinking framework for knowledge management. Decisions Support Systems Journal, 31(1), 5-16.
Sachs, I. (1993). Estratégias de transição para o século XXI. Revista de Administração de Empresas, 34(2), 89-91.
Schaltegger, S., Herzig, C., Kleiber, O, & Muller J. (2002). Sustainability management in business enterprises: concepts and instruments for sustainable organization development. Bonn: Federal Ministry for the Environment/Nature Conservation and Nuclear Safety (BMU).
Schulze, K., & Schretzmann, R. (2006). Wald mit zukunft. nachhaltige forstwirtschaft in deutschland. Bonn: Aid-Heft.
Strobel, J. S., Coral, E., & Selig, P. M. (2004). Indicadores de sustentabilidade corporativa: uma análise comparativa. Available: . Access: 12th maio. 2018.
Veiga, J. E. (2010). Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond.
WCED – World Commission on Environment and Development. (1987). Our common future. Brundtland report. Available: . Access: 12th maio. 2018.
Will, J., & Briggs, D. (1995). Developing indicators for environment and health. World Health Statistics Quarterly, 48(2), 155-163.
Zylbersztajn, D., & Lins, C. (2010). Sustentabilidade e geração de valor: a transição para o século XXI. Rio de Janeiro: Elsevier.