Information and Communication Technologies in the Training of Health and Education Professionals

Main Article Content

Maykon Anderson Pires de Novais
Márcia Mello Costa De Liberal
Paola Zucchi
Solange Aparecida Nappo

Abstract

The training of health and education professionals is by various sources of information and specific actions. The content analysis that focus on knowledge of these professionals to empower themselves reveals very encouraging results, as the knowledge they possess. With this, the objective is to consider the information sources in the context of information and communication technologies as tools to aid health professionals and education in their professional training. From this context, the quick access to the right information for these professionals is one of the most efficient ways to combat drugs and its consequences. The text describes the influence of Information and Communication Technologies in the universe of health and education. This presence is decisive for the process of professional training.

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

How to Cite
de Novais, M. A., De Liberal, M., Zucchi, P., & Nappo, S. A. (2018). Information and Communication Technologies in the Training of Health and Education Professionals. International Journal for Innovation Education and Research, 6(5), 80-89. Retrieved from http://ijier.net/index.php/ijier/article/view/1044
Section
Articles
Author Biographies

Maykon Anderson Pires de Novais, Federal University of São Paulo (Unifesp)

Department of Informatics in Health

Márcia Mello Costa De Liberal, Federal University of São Paulo (Unifesp)

I am Author and Translator.

Department of Medicine - Discipline of Economics and Management in Health

Center for Humanities - Faculty of Social and Applied Sciences - UFOB

Paola Zucchi, Federal University of São Paulo (Unifesp)

Department of Medicine - Discipline of Economics and Management in Health

Solange Aparecida Nappo, Federal University of São Paulo (Unifesp)

Department of Preventive Medicine

References

[1] ALMEIDA, Gilberto Wildberger de e MELLO, Ricardo Coutinho. Uso de novas tecnologias de informação por profissionais da área da saúde na Bahia. Revista de Administração Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 8, n. 3, p. 9-27, 2004.
[2] OLIVEIRA, Lúcio Garcia de e NAPPO, Solange Aparecida. Crack na cidade de São Paulo: acessibilidade, estratégias de mercado e formas de uso. Archives of Clinical Psychiatry, São Paulo, v. 35, n. 1, p. 212-218, 2008.
[3] FERREIRA, Tatiana Cristina Diniz, SANCHEZ, Zila van der Meer, RIBEIRO, Luciana Abeid, et al. Percepções e atitudes de professores de escolas públicas e privadas perante o tema drogas. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 14, n. 34, p. 551-562, 2010.
[4] CARLINI, Elisaldo, GALDURÓZ, José Carlos, NOTO, Ana Regina, et al. II Levantamento Domiciliar sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil: estudo envolvendo as 108 maiores cidades do país. ed. São Paulo: Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID), 2005.
[5] CRUZ, Marcelo Santos e FILHO, João Ferreira da Silva. A formação de profissionais para a assistência de usuários de drogas ea constituição de um novo habitus de cuidado. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, São Paulo, v. 54, n. 2, p. 120-126, 2005.
[6] SOARES, Cássia Baldini e CAMPOS, Célia Maria Sivalli. A responsabilidade da universidade pública no ensino da prevenção do uso prejudicial de drogas. Mundo Saúde, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 110-115, 2004.
[7] BUCHER, Richard. A ética da prevenção. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasilia, v. 8, n. 3, p. 385-398, 2012.
[8] CANOLETTI, Bianca e SOARES, Cássia Baldini. Programas de prevenção ao consumo de drogas no Brasil: uma análise da produção científica de 1991 a 2001. Interface–Comunicação, Saúde e Educação, Botucatu, v. 9, n. 16, p. 115-129, 2005.
[9] SANCHO, Juana Maria e e HERNÁNDEZ, Fernando. Tecnologias para transformar a educação. 1ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.
[10] SIGULEM, Dirce M, MORAIS, Tania B, CUPPARI, Lilian, et al. A Web-based distance education course in nutrition in public health: case study. Journal of medical Internet research, Bethesda MD, n. 2, p. 157-169, 2001. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1761899/. Acesso em 19 mai 2017
[11] VALENTE, José Armando. A comunicação e a educação baseada no uso das tecnologias digitais de informação e comunicação. UNIFESO-Humanas e Sociais, Teresópolis, v. 1, n. 01, p. 141-166, 2014.
[12] CARLINI-COTRIM, Beatriz. Potencialidades da técnica qualitativa grupo focal em investigações sobre abuso de substâncias. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 30, n. 3, p. 285-293, 1996.
[13] GRILLO, Sheila Vieira de Camargo, DOBRANSZKY, Enid Abreu e LAPLANE, Adriana Lia Friszman. Mídia impressa e educação científica: uma análise das marcas do funcionamento discursivo em três publicações. Cultura, ensino e práticas educativas formais e não-formais, Campinas, v. 63, n. 63, p. 215-236, 2004.
[14] NOTO, Ana Regina, BAPTISTA, Murilo C, FARIA, Silene T, et al. Drogas e saúde na imprensa brasileira: uma análise de artigos publicados em jornais e revistas. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, p. 69-79, 2003.
[15] SILVA, Ângela, SANTOS, Antonio M. dos, FILHO, José Antônio de Araújo, et al. Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do Norte e as novas tecnologias de educação. In: TORRES, Patrícia Lupion (Org.). Pioneirismo em Educação a Distancia: A experiência do Rio Grande do Norte. Natal: CEFET-RN, 2003. p.111-133.
[16] VARGAS, Divane de e LUIS, Margarita Antônia Villar. Álcool, alcoolismo e alcoolista: concepções e atitudes de enfermeiros de unidades básicas distritais de saúde. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 16, n. spe, p. 543-550, 2008.
[17] VECCHI, Juan E. Educadores na era da informática. 1ª ed. São Paulo: Salesiana, 2001.
[18] RODRIGUES, Gelze Serrat de Souza Campos e COLESANTI, Marlene T. de Muno. Educação ambiental e as novas tecnologias de informação e comunicação. Sociedade e Natureza, Uberlândia, v. 20, n. 1, p. 51-66, 2008.
[19] SANTOS, Clodogil Fabiano Ribeiro dos. Tecnologias de informação e comunicação. Disponível em: http://repositorio.unicentro.br/bitstream/123456789/114/1/Tecnologias%20de%20informa%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em 19 Abr 2017.
[20] PONS, Juan de Pablos. Visões e conceitos sobre a tecnologia educacional. 1ª ed. Porto Alegre: 2009.
[21] AYRES, Marco Aurélio Cavalcante, ARAÚJO, Elvira Aparecida Simões de e KAMIMURA, Quésia Postigo. Influência e inclusão das tecnologias da informação no processo ensino-aprendizagem. Latin American Journal of Business Management, Taubaté, v. 5, n. 2, p. 2178-4833, 2015.
[22] AMIA, American Medical Informatics Association. The Science of Informatics. Disponível em: http://www.amia.org/about-amia/science-informatics. Acesso em 20 Jun 2016.
[23] CARDOSO, Jefferson Paixão, ROSA, Valéria Argolo, LOPES, Claudia Ribeiro Santos, et al. Construção de uma práxis educativa em informática na saúde para ensino de graduação. Ciência & Saúde Coletiva, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 283-288, 2008.
[24] MANTAS, John, AMMENWERTH, Elske, DEMIRIS, George, et al. Recommendations of the International Medical Informatics Association (IMIA) on education in biomedical and health informatics–1st revision. Acta Informatica Medica, Sarajevo, v. 18, n. 1, p. 4, 2010.